Dia da Família Militar - 18 de setembro

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 17 set 2021
Crédito: CCOMSEx

O Dia da Família Militar, comemorado no dia 18 de setembro, foi instituído por meio da Portaria nº 650, do Comandante do Exército, em 10 de junho de 2016. A data faz referência ao nascimento de D. Rosa Maria Paulina da Fonseca (1802 a 1873), Patrono da Família Militar, na então cidade de Alagoas, capital da província de mesmo nome e atual município de Marechal Deodoro.

Em 1824, D. Rosa da Fonseca casou-se com o Major do Exército Imperial Manoel Mendes da Fonseca, militar que se destacou na prestação de serviços ao Império. Ela sempre apoiou o marido em todas as suas resoluções até o final da vida. Mulher forte, teve dez filhos dessa união, que viria a ser uma das mais importantes famílias militares, com destaque na política e na administração pública brasileira.

Dos dez filhos, duas eram mulheres, Emília e Amélia; e oito, homens que abraçaram a carreira das Armas: Hermes Ernesto, Afonso Aurélio, Hyppólito Mendes, Eduardo Emiliano, João Severiano, Severiano Martins, Manuel Deodoro e Pedro Paulino. Desses, sete seguiram para os campos de batalha da Guerra da Tríplice Aliança, onde três morreram heroicamente defendendo a Pátria. Permaneceu junto a ela apenas seu filho Pedro Paulino, tenente reformado do Exército, futuro governador de Alagoas e senador federal por esse estado.

Dentre os importantes feitos da família, cabe destacar que:

    – Morreram em combate o Alferes Afonso Aurélio da Fonseca, na batalha de Curuzú; o Capitão de Infantaria Hyppólito Mendes da Fonseca, na batalha de Curupaiti; e o Major de Infantaria Eduardo Emiliano da Fonseca, na batalha de Itororó;

    – O General de Brigada João Severiano da Fonseca, primeiro médico a ascender ao generalato, foi designado como Patrono do Serviço de Saúde do Exército;

    – O Marechal de Exército Manuel Deodoro da Fonseca foi o Proclamador da República e o primeiro Presidente do Brasil; e

    – O Marechal Hermes Rodrigues da Fonseca, filho do primogênito de D. Rosa da Fonseca, Hermes Ernesto da Fonseca, e outro importante ícone da família, foi o oitavo Presidente da República.

A história de vida de D. Rosa da Fonseca foi marcada por conquistas e alegrias, mas também por perdas e tristezas. Contudo, destacam-se a abnegação e o sacrifício com que superou as dificuldades em proveito da família e da Pátria. A escolha de seu nome como Patrono da Família
Militar não foi em vão. Matriarca exemplar, seu nome passou a significar o exemplo de amor ao marido e aos filhos e o espírito de patriotismo, que são características que definem a Família Militar.

Firmando suas bases em pressupostos éticos, de caráter, honra, disciplina, hierarquia e camaradagem, nesta data, 18 de setembro, o Exército Brasileiro reconhece o valor dessa admirável mulher que faleceu na cidade do Rio de Janeiro, em 11 de julho de 1873, aos 70 anos de idade.

Que a “Mãe dos Sete Macabeus”, como ficou conhecida, nos inspire com sua história de vida na construção e na manutenção dos valores basilares para a Família Militar, tais como: sacrifício, dedicação, resiliência e coragem.

 

.: Versão em pdf para impressão                                                        

 

Fonte: Centro de Comunicação Social do Exército