Secretário de Economia e Finanças do Exército visita instalações utilizadas nas Olimpíadas do Rio em 2016

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 06 ago 2018
Crédito: Cb Francilaine

Brasília (DF) – No dia 2 de agosto, o General de Exército Marcos Antonio Amaro dos Santos, Secretário de Economia e Finanças (SEF) do Exército e comitiva, visitaram as instalações que foram utilizadas durante Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, na Barra da Tijuca e na Vila Militar, no Rio de Janeiro (RJ).

A comitiva presidida pelo Gen Amaro estava composta pelo General de Divisão Antonio Manoel de Barros, Comandante da 1ª Divisão de Exército; General de Brigada André Luiz Ribeiro Campos Allão, Chefe do Centro de Capacitação Física do Exército;  General de Brigada Otavio Rodrigues de Miranda Filho, Comandante do Grupo de Unidades Escola/ 9ª Brigada de Infantaria Motorizada; General de Brigada R1 José Daniel de Andrade Braga, da Assessoria dos Jogos Olímpicos (AJO); e do Coronel Eng Medeiros, Comandante do 5º Grupamento Engenharia.

A visita foi iniciada pelo Parque Olímpico da Barra, que encontra-se sob a responsabilidade da Autoridade de Governança do Legado Olímpico (AGLO), quando foram apresentadas as instalações do parque, seu funcionamento e os atuais problemas.

Na sequência, foi visitada a Escola de Equitação do Exército, onde o Gen Bda Allão, realizou uma palestra e, em seguida, apresentou as seguintes arenas sob responsabilidade do Exército: Parque Equestre General Eloy Menezes; Centro Militar de Tiro Esportivo (CMTE) Tenente Coronel Guilherme Paraense; Ginásio Poliesportivo Coronel Wenceslau Malta (Arena da Juventude); Centro Militar de Hóquei sobre a Grama Sargento João Carlos de Oliveira; e o Centro Militar de Pentatlo Moderno Coronel Eric Tinoco Marques.

Com o fim dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016, coube ao Exército, em cooperação com o Ministério do Esporte, promover a utilização do Complexo Desportivo de Deodoro, aproveitando o legado dos jogos olímpicos com o objetivo de desenvolver o desporto nacional.

A visita teve por finalidade verificar como é feita a gestão das Arenas de Deodoro, como foi utilizado o Termo de Execução Descentralizado (TED) 2017 e como será utilizado no ano de 2018, além de conhecer as principais dificuldades e possibilidades das arenas.



Fonte:SEF