AMAN realiza segunda edição do Desafio Agulhas Negras em 2021

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 26 abr 2021
Crédito: Sd Domingues (Es S Log), Lucas Rodrigues (ESA); cadetes Villela, Hitter, Goulart, Matheus e Cb Rhuan, Sd João Medeiros e Gustavo Martins (AMAN)

Resende (RJ) – Três dias de competição acirrada na 2ª edição do Desafio Agulhas Negras na Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN).

Chegou ao fim, neste dia 23 de abril, a disputa que contou com 14 oficinas, duas marchas e muito aprendizado e trocas de experiência. Um grande esforço coletivo para tornar realidade um desafio de proporções gigantescas e existente, nos mesmos moldes, em West Point (Estados Unidos) e Chimaltalli (México).

O grande ganho entre as oito patrulhas, sendo quatro da AMAN e quatro externas, foi, sem dúvida, a integração entre as escolas de formação de oficiais e sargentos e a conquista significativa de atributos inerentes à profissão militar escolhida, como rusticidade, espírito de corpo e liderança.

A  2ª edição, além das Academias de formação de oficiais, AMAN (Exército) e Escola Naval (Marinha),  também recebeu alunos da Escola Preparatória de Cadetes do Exército, (EsPCEx), da Escola de Sargentos das Armas (ESA), da Escola de Sargentos de Logística (Es S Log) e do  Centro de Instrução da Aviação do Exército (CIAVEx). Além do Centro de Instrução Almirante Alexandrino da Marinha, sendo apenas observador do evento.

Superação é o sentimento que define a futura aspirante a oficial da AMAN, a cadete Ávila, sobre a competição de patrulhas, da qual participa pelo segundo ano. “Sempre busco estar nessas atividades, não somente pelo grande aprendizado que representam como também pela inovação contínua no exercício da liderança”, afirma a cadete do 4º ano do curso de Intendência.

A menos de um ano de adentrarem os portões da AMAN, a patrulha da EsPCEx deu exemplo de confiança. “O convívio com os cadetes e demais patrulheiros é fundamental para nós. Aproveitamos para conhecer bem a instituição, que será nossa futura casa”, afirma o aluno da Escola Preparatória Gabriel Guimarães.

Os representantes das escolas de formação de sargentos também evidenciaram com atitude, que a liderança observada entre os oficiais é de extrema importância para os graduados, no contato direto com a tropa e para lidar com os desafios lançados. “A patrulha exige muito da gente, mas soubemos superar os limites em diversos momentos, em especial na pista de cordas onde o cansaço bateu. O contato com essa academia e com seu efetivo agrega muito à nossa profissão”, afirma aluno Maricato, do CIAVEx.

As patrulhas são formadas por onze integrantes, nove estiveram em atuação contínua e outros dois em revezamento. Espírito de corpo e demonstração de camaradagem. Dentre os participantes, obrigatoriamente esteve uma mulher participante.

No ano em que a AMAN irá formar a primeira turma de oficiais combatentes com integrantes do segmento feminino, a instituição também divide esse capítulo em sua história com outras jovens que se espelharam em nossas cadetes para escolherem a profissão.

Na patrulha da Escola Naval, uma das representantes também foi outra precursora: a primeira mulher aspirante fuzileiro naval no Brasil, Helena de Souza Monteiro, foi uma das patrulheiras. “Bastante determinação para enfrentar o Desafio Agulhas Negras. Chegar à final, é sem dúvidas, uma vitória. Levar comigo também essa responsabilidade, de ser a primeira aspirante fuzileiro naval, só acrescenta ainda mais respeito por essa carreira, que sempre almejei”, finaliza a jovem Helena.

Durante formatura realizada no dia 23 de abril, data do 210º aniversário da AMAN, o seu Comandante, General de Brigada Paulo Roberto Rodrigues Pimentel parabenizou os participantes do Desafio. “Destaco a patrulha, que teve o mérito de superar os demais competidores, bem como cada um dos militares que demonstrou coragem física e moral para se lançar ao desconhecido desafio, ao longo de três extenuantes jornadas”.

O resultado do Desafio Agulhas Negras ficou assim: 1º, 2º e 3º lugares - Patrulhas Foxtrot, Charlie e Bravo, respectivamente. Todas compostas por cadetes da AMAN. As três equipes ganham um kit militar, além de uma medalha simbólica. A equipe campeã, também é agraciada com o Troféu Agulhas Negras.

Fonte: AMAN