Universitários participam de estágio intenso e integrado na Manobra Escolar

 

Resende (RJ) – Mais intenso e informacional do que tradicionalmente é feito no País, a Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) promove, no contexto da Manobra Escolar 2016, o Estágio de Correspondente de Assuntos Militares (ECAM). Este ano, 30 estudantes de Jornalismo, Marketing e Publicidade e Propaganda de três faculdades de Resende, Barra Mansa e Volta Redonda participam da atividade, que acontece entre os dias 7 e 16 de novembro.

 

 

“Os estagiários têm contato com o que tem de melhor no Exército Brasileiro, desde projetos estratégicos até material humano, além de manter girando a roda informacional da Manobra, de forma bem próxima à realidade”, explica o Instrutor-Chefe da Seção de Instrução Especial da AMAN, Tenente-Coronel Nilton Diniz Rodrigues, responsável pelo ECAM.

 

A estudante de jornalismo Thalita Amancio, de Volta Redonda, destaca que o curso é importante para entender o que ocorre em uma guerra. “É uma prática que podemos utilizar no futuro. Profissionalmente, é uma experiência única, pois é um curso que não encontramos no mercado de trabalho, o que nos destaca. Conseguimos entender a vida do civil e do militar. Mostraremos para a população o real papel do Exército Brasileiro”, ressaltou.

 

 

Intensidade

 

O ECAM é dividido em duas fases. A primeira, de ambientação e de treinamentos militares, é mais pesada do que normalmente ocorre nos estágios em outras Guarnições. Os futuros jornalistas têm instruções de campo, como progressão noturna, rapel, abrigos e obtenção de água e fogo, com cargas física e psicológica elevadas. “Buscamos ser facilitadores para que os alunos possam vencer os desafios no terreno. A intensidade maior do exercício faz com que os jovens superem seus medos e depositem mais confiança naqueles que os ajudam nos momentos de maior tensão”, explicou o Tenente-Coronel Nilton.

 

Na segunda fase, voltada para a Manobra, os estagiários trabalham como grupos de mídia, fazendo o fluxo de informação durante as atividades, ou seja, serão os produtores de conteúdo do exercício escolar. Para isso, foram divididos em três linhas editoriais: a neutra, que é independente; a favorável ao “inimigo”; e a coalizão, formada pelas diversas escolas do Departamento de Educação e Cultura do Exército.

 

 

Integração

 

Além de colocar em contato os formadores de opinião com as atividades operacionais da Força Terrestre, o ECAM tem como objetivo verificar se cadetes e alunos, que lidam com terreno humano e informacional, estão qualificados para trabalhar nas atividades para as quais estão sendo formados. Participam do exercício os alunos do curso de Comunicação Social do Centro de Estudos de Pessoal, da Escola de Comando do Estado-Maior do Exército, do Curso de Operações Psicológicas e da Escola de Sargento das Armas, além de cadetes da AMAN.

 

O objetivo é verificar se a capacidade de informar e influenciar dos alunos e dos cadetes foi eficiente, a ponto de convencer a mídia, representada pelos estagiários do ECAM, dos propósitos dessa guerra simulada, de acordo com o interesse de cada lado. Para isso, serão analisados os produtos feitos pelos futuros jornalistas.

 

Fotos: Agência Verde-Oliva e Estagiários

Fonte:
Publicado:$pubDate