Comando Militar da Amazônia realiza grande operação aeromóvel

 

Manaus (AM) – Na manhã do dia 14 de novembro, foi realizada uma grande operação aeromóvel envolvendo o 1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel), o 4º Batalhão de Aviação do Exército e elementos de Artilharia, Engenharia e Logística. Aliando a vocação aeromóvel do 1º BIS (Amv) e a elevada disponibilidade de aeronaves do 4º BAvEx, o assalto aeromóvel transportou um número recorde de 134 militares em uma única vaga, distribuídos em duas aeronaves Cougar HM-3 e quatro HM-2 Black Hawk. Foi o maior exercício dessa natureza já realizado na Amazônia.

 

 

A preparação dos Infantes de Selva foi iniciada há três semanas, com a adequação do material necessário para a missão e o treinamento de embarque e desembarque nas aeronaves envolvidas. Os tripulantes, por sua vez, estiveram empregados nos trabalhos de manutenção de toda a frota de helicópteros, contando com o apoio da Diretoria de Material de Aviação do Exército, para alcançar as metas de disponibilidade de meios aéreos. O Plano de Movimento Aéreo, de Carregamento e Embarque e Tático Terrestre foram minuciosamente trabalhados em conjunto, o que permitiu uma análise perfeita de todos os fatores críticos para o sucesso da missão.

 

A decolagem dos helicópteros estava condicionada à conquista do Ponto de Controle 3, cuja posse impediria o acesso do inimigo ao local de desembarque, na localidade de Iranduba-AM, por meio da rodovia AM 070. Por volta das 09h00, foi dada a ordem para a realização do Assalto Aeromóvel. A segurança da Zona de Desembarque estava garantida pela Equipe de Busca e Salvamento do 4º BAvEx, infiltrada antecipadamente para esse fim.

 

A área escolhida para o pouso – uma grande clareira no interior da selva – obrigou a Força de Helicópteros a aproveitar todos os espaços disponíveis para garantir a segurança da missão. Após um voo desenfiado, que aproveitou, ao máximo, a proteção e a camuflagem do terreno, o 1º BIS (Amv) pôde iniciar o investimento planejado para a localidade. Uma seção de Black Hawks realizou um ataque aeromóvel em proveito da tropa terrestre, cobrindo o flanco esquerdo da tropa que avançava.

 

O 1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel) teve sua origem histórica na Província do Mato Grosso, em 30 de agosto de 1754, com a criação da “Companhia de Pedestres”. Em 23 de fevereiro de 1915, foi transferido para Manaus, com o nome de “45º Batalhão de Caçadores”. Após diversas denominações, a partir de 2005, passou a 1º Batalhão de Infantaria de Selva (Aeromóvel), pela grande afinidade operacional que tem com o 4º BAvEx, tornando-se pioneiro em Operações Aeromóveis na Amazônia.

 

O 4º BAvEx originou-se em 1991, quando helicópteros da recém-criada Aviação do Exército foram enviados para a região de Tabatinga (AM), como parte da resposta militar ao episódio que ficou conhecido como Traíra. Cumprindo suas missões com aeronaves HM-1 (Pantera), HM-2 (Black Hawk) e HM-3 (Cougar), o 4º BAvEx é o braço alado do Comando Militar da Amazônia.

Fonte:1º BIS
Publicado:$pubDate