EQUÍVOCO QUASE VICIOSO

Publicação: Ter, 11 de junho de 2019

 

     "Já faz quase trinta anos, desempenhava eu, no IME, as funções de Oficial de Relações Públicas, em paralelo com as normais tarefas de professor, quando o Exército Brasileiro estabeleceu uma permuta de estágio de oficiais com o Exército americano. De dois em dois anos, dois capitães engenheiros militares brasileiros fariam estágio em Unidade americana de engenharia e, simultaneamente, dois capitães americanos realizariam um estágio em uma de nossas Unidades de engenharia de construção.

 

     Logo fui informado que deveria ir ao aeroporto da FAB, no Galeão, a fim de receber os capitães Eugene Driscoll e Roy Prince, o primeiro acompanhado de esposa e um casal de filhos pequenos, e o segundo com esposa, mas, sem filhos. Fui encarregado de prestar assistência aos recém-chegados durante um mês, findo o qual seriam deslocados para Araguari, sede do 2º Batalhão Ferroviário, Unidade do estágio.

 

     Os quatro adultos falavam razoavelmente o português, o que facilitou bastante o nosso relacionamento, e, em breve, se estabeleceu, entre eles e o casal Ten Cel Miscow e Sra., um clima de descontraída amizade.

 

     Um ano depois de permanecerem lá no 2º Btl Ferroviário, os capitães americanos vieram em férias, ao Rio. Nessa ocasião, um dos casais convidou a mim e a minha senhora, para jantarmos todos juntos em um bom restaurante na Lagoa. Foi oportunidade, para contarem muitas das primeiras experiências que tiveram no estágio em terra brasileira. Guardei na memória um "causo" por eles contado e que ocorrera em Araguari.

 

     Um dos muitos trabalhadores civis, contratados para trabalhar nas obras, a cargo do Btl, certo dia, compareceu à visita médica, porquanto apresentava certos sintomas inquietantes, talvez sinais de úlcera no estômago. Foi meticulosamente examinado pelo médico da Unidade e, no final dos exames, recebeu a prescrição de uma dieta rigorosa, uma lista de remédios que deveria tomar e mais uma enérgica recomendação do doutor: - E, cuidado, hem? Somente três cigarros por dia! Cuidado!

 

     Passou-se um mês, e o funcionário voltou ao posto médico, para fazer um check-up. O mesmo doutor que o havia examinado perguntou: - E então, está indo tudo bem?

 

     Responde o pobre mineiro: - Bem, tenho tomado os remédios, tenho feito a dieta, tudo como o senhor disse. Mas, infelizmente, estou tendo uma grande dificuldade, para me acostumar com esses três cigarros por dia. Sabe, doutor, eu nunca fumei na vida!"

 

Autor: Roberto Miscow Filhos  - Inf 1953

  •  
  •