Caserna de Bravos conclui a construção de Ponte Semipermanente no Campo de Instrução de Santa Maria

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 15 fev 2019
Crédito: Ten Vargas, Sgt Antônio, Sd Teixeira

São Gabriel (RS) – Em 12 de fevereiro de 2019, a primeira ponte semipermanente construída pelo 6º Batalhão de Engenharia de Combate (6º BE Cmb), Batalhão Tenente-Coronel José Carlos de Carvalho, foi concluída. Está localizada no Campo de Instrução de Santa Maria (CISM), sobre o rio Taquarichim, e será utilizada pelas viaturas do próprio CISM e por blindados da 6ª Brigada de Infantaria Blindada (6ª Bda Inf Bld) e da 3ª Divisão de Exército (3ª DE), ambas com sede em Santa Maria (RS).

Essa ponte permitirá a reativação da “estrada do mosquito”, que por muito tempo esteve intransitável, porque as velhas construções estavam condenadas, impossibilitando a travessia do rio Taquarichim por viaturas, blindados ou pedestres.

 

O projeto das Pontes Semipermanentes no CISM

Em 2018, o 4º Grupamento de Engenharia (4º Gpt E), Grande Comando de Engenharia subordinado ao Comando Militar do Sul (CMS), decidiu empregar o 6º BE Cmb na construção de três pontes semipermanente sobre o rio Taquarichim no CISM, a fim de melhorar a trafegabilidade de viaturas e blindados dentro daquele campo de instrução.

Para isso, em uma primeira fase teórica, foi reunido integrantes das organizações militares diretamente subordinadas (OMDS) e das organizações militares de Engenharia vinculadas (OMV) do CMS para instruções de assuntos correlatos à engenharia civil de construção de pontes semipermanentes. Esses conhecimentos foram de extrema importância para iniciar os planjamentos e execução do projeto.

Em 22 de outubro de 2018, então, após adquiridos os materiais e ativado o canterio de trabalho, iniciou a fase da execução, que contou, inicialmente, com representates do 4º Gpt E, das OMDS e OMV. Os militares do 6º BE Cmb seguiram no cumprimento da missão de concluir a construção da primeira ponte semipermanente do projeto, sendo acompanhado tecnicamente pelo 4º Gpt E.

O trabalho iniciou com a limpeza da área que estava totalmente tomada pela vegetação, tendo em vista o longo tempo sem utilização. Isso deu vida nova ao acesso à primeira ponte. Logo, o canteiro de trabalho estava pronto, e a infraestrutura começou a ser construída no vão de nove metros. Foram construídos um encontro em cada margem do rio, mais um encontro central, concretados com vergalhões de aço. A superestrutura foi composta por perfis metálicos em “H” e pranchões de madeira de eucalipto vermelho, foram, também, instalados e pintados rodapés que balizarão a travessia da ponte.

A capacidade da ponte é de 50 toneladas. Assim, possibilitará a passagem de blindados como o Leopard (de 40 toneladas) e o Guarani (de 15 toneladas).

Mais uma demonstração de profissionalismo, dedicação, abnegação e entusiasmo profissional dos militares da “Caserna de Bravos” – como é mais conhecido o antigo aquartelamento do 6º BE Cmb –, que muito bem cumpriram sua missão. Essa foi uma importante oportunidade de adestramento profissional, além de apoiar outras organizações militares do CMS e colaborar com a imagem do Batalhão, da Engenharia Militar e do Exército Brasileiro.



Fonte:6º BE Cmb