Formatura Militar marca conclusão da revitalização de morteiros 120 mm

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 19 out 2021
Crédito: Sd Feitosa / Sd Ladeira

Rio de Janeiro (RJ) – No dia 15 de outubro, o Arsenal de Guerra do Rio (AGR), realizou formatura militar para marcar a conclusão da revitalização de mais um lote de materiais de emprego militar (MEM), composto de dez morteiros pesados 120 mm (Mrt P 120 M2 R).

O processo de revitalização desses morteiros compreende a desmontagem de todo o MEM para inspeção metrológica e realização de manutenção corretiva e preventiva de peças/conjuntos do morteiro, troca de peças/conjuntos que sofreram mudanças de projeto, limpeza, fosfatização, pintura e lubrificação, fornecimento de nova caixa de acessórios, ferramental e sobressalentes e de novos aparelhos de pontaria. Essas ações padronizam os morteiros revitalizados, com sistemas mais robustos e confiáveis, resultando no submodelo Mrt P 120 M2A1 R, de maior disponibilidade.

As dez unidades Mrt P 120 M2A1 R apresentam uma novidade, o tempo reduzido de execução da revitalização, sendo que alguns morteiros foram recebidos no primeiro semestre de 2021, para manutenção industrial, trazendo-os a condição de novos e redistribuição às organizações militares (OM) operadoras, ainda em 2021. Esse tempo menor que o usual se deu a partir de estudos que possibilitaram a adoção de novas metodologias, como o Sistema Toyota, entre outros fatores, prima pela otimização do tempo, material e recursos, visando minimizar a ausência desse armamento nas OM detentoras, possibilitando o seu poder de fogo, elevado nível operacional e capacidade combativa.

Com o objetivo de garantir a disponibilidade, o AGR também finalizou a produção de 10 kits de ferramental e suprimento novos para as OM logísticas de manutenção. Tal revitalização é realizada com o apoio da indústria local, o que se evidencia pelos mais de dez fornecedores contratados para a entrega de serviços técnicos, ferramentas comerciais e especiais, peças e subconjuntos de relevante complexidade mecânica.

 

Fonte: AGR