Independência da Bahia, 2 de julho de 1823

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 02 jul 2020

Em 2 de julho de 1823, o movimento de emancipação, que garantiu a inserção da então província da Bahia no Brasil, chegou ao fim.

Em que pese a independência do Brasil ter ocorrido em 7 de setembro de 1822, o movimento de libertação da província da Bahia iniciou em 19 de fevereiro de 1822, motivado pela Revolução Liberal do Porto de 1822, que aspirava à limitação do poder real.

Aos poucos, o então governador português Inácio Luís Madeira de Melo foi sufocando as municipalidades simpáticas ao movimento, ao mesmo tempo que os populares iam engrossando as tropas de resistência no Recôncavo, sob o comando de Miguel Calmon, futuro Marquês de Abrantes.

Não tardou e, em 8 de novembro de 1822, ocorreu a decisiva Batalha de Pirajá. Com a vitória das forças brasileiras nessa batalha, os portugueses ficaram impedidos de romper o bloqueio aos caminhos que ligavam a capital ao centro e ao norte do país, impedindo-os de ter o domínio militar além da capital.

Cabe considerar o heroísmo de Maria Quitéria de Jesus, patrono do Quadro Complementar de Oficiais do Exército Brasileiro, condecorada pessoalmente por D. Pedro I com a Imperial Ordem do Cruzeiro, por participar bravamente nas diversas lutas de independência da Bahia.

Em 2 de julho de 1823, Madeira de Melo abandonou a capital da província da Bahia, por mar, após breves dias de bloqueio marítimo realizado pela esquadra comandada pelo Almirante Cochrane, entregando Salvador às tropas brasileiras.

 

.: Versão em pdf para impressão
 

Fonte: Centro de Comunicação Social do Exército