Com foco na cooperação mútua, 4º Estágio Internacional de Defesa Cibernética reúne militares de 10 países

${the_title} - ${company_name}

Crédito: S Ten Edmilson

Brasília (DF) – Entre os dias 13 e 24 de maio, Brasília sedia o 4º Estágio Internacional de Defesa Cibernética. O evento reúne militares de 10 países e é promovido pelo Comando de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército (CCOMGEx). As instrução estão sendo ministradas no Centro de Instrução de Guerra Eletrônica (CIGE). O estágio tem o objetivo de capacitar militares de nações amigas a realizarem ações na área de cibernética em redes de computadores e sistemas de informação, promover o intercâmbio doutrinário e técnico, além de contribuir para a cooperação internacional nessa área do conhecimento.

O encontro acontece nas dependências do Forte Marechal Rondon, que concentra organizações militares da Arma de Comunicações na guarnição de Brasília. A abertura oficial foi procedida pelo Chefe do Departamento de Ciência e Tecnologia, General de Exército Décio Luís Schons, que destacou a importância do intercâmbio de informações para o sucesso da atividade de defesa cibernética. "Para fazer face às ameaças no campo cibernético, que são diárias, é necessária a cooperação entre os países e as organizações. Nesse contexto, as lições aprendidas nesse estágio são importantes para enfrentarmos os ataques cibernéticos", destacou.

O Comandante do CCOMGEx, General de Brigada Carlos Alberto Dahmer, também salientou a importância do aprofundamento de relações de conhecimento e confiança entre os países participantes, além do Brasil: Argentina, Chile, Equador, Estados Unidos, Guiana, Indonésia, Paraguai, Portugal e Uruguai. "Uma das palavras mais importantes na área de proteção cibernética é a colaboração. Estágios internacionais como esse permitem não só a troca de experiências, mas a formação de redes de relacionamentos que permitirão, em situações de crise, a ajuda mútua", pontuou.

A aula inaugural do estágio foi proferia pela professora Patrícia Peck, Pós-Doutora em Direito Internacional e Propriedade Intelectual. Durante a atividade, serão abordados temas como Sistemas Criptográficos, Técnicas Forenses e Vulnerabilidades em Sistemas. O exercício final, no dia 23 de maio, será o Capture The Flag, conhecido com a sigla CTG, que consiste em um conjunto de desafios no campo da defesa cibernética.

Fonte: Agência Verde-Oliva


Crédito: S Ten Edmilson