Equipe do Serviço de Assistência Social em força tarefa contra o suicídio

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 14 mai 2019
Atenta a esses números, a equipe do Serviço de Assistência Social da 5ª Região Militar constituiu uma força-tarefa formada por psicólogos e assistentes sociais, em combate ao suicídio.
Crédito: Sgt Gustavo e Sgt Coutinho

Curitiba (PR) – Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), a cada 40 segundos, uma pessoa se suicida no planeta. O problema é a segunda maior causa de morte entre pessoas de 15 a 29 anos de idade. Atenta a esses números, a equipe do Serviço de Assistência Social da 5ª Região Militar (5ª RM) constituiu uma força-tarefa formada por psicólogos e assistentes sociais, em combate ao suicídio.

A partir deste mês, serão realizadas visitas de orientação técnica (VOT) à organizações militares, com o objetivo de informar e orientar comandantes, chefes de Estado-Maior, chefes de seção de pessoal, oficiais de ligação e adjuntos de comando sobre a importância de priorizar o cuidado com a saúde mental. “Durante as VOT realizaremos a capacitação desses militares para que saibam identificar um comportamento suicida, e fazer o manejo de situações que possam levar uma pessoa ao autoextermínio”, explicou o Coronel Rovida, chefe da Seção de Assistencial Social da 5ª RM.

Durante as visitas, também são realizadas palestras sobre a prevenção ao suicídio e valorização da vida, tendo como público-alvo todos os integrantes da organização militar, independente da posição hierárquica. Em um segundo momento, acontecerão oficinas e dinâmicas de grupo, atividades com finalidades de fortalecer o conhecimento da temática.

A capelania também integra essa força-tarefa. Ela atua no processo de humanização das organizações militares e no apoio psicossocial, respeitando a fé, credos e tradições daqueles que são atendidos. “É papel do capelão oferecer apoio espiritual, além de emocional e social àqueles militares que enfrentam circunstâncias difíceis. Assistência é provida independentemente de preferência religiosa”, esclarece o Tenente Cardoso, capelão da 5ª RM. Semanalmente nas organizações militares são realizados encontros religiosos de diferentes seguimentos.

Essas ações fazem parte do Programa de Valorização a Vida (PVV), cujo objetivo é informar, orientar e priorizar a importância do cuidado da saúde mental, entendida como um aspecto vinculado ao bem-estar e à qualidade de vida, e com isso buscar a prevenção do suicídio. 

Fonte: 5ª RM