Com presença dos pioneiros, Colégio Militar de Brasília celebra 40 anos do início das atividades escolares

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 27 mar 2019
Crédito: Sgt Djalma

Brasília (DF) – Um dia de lembranças e reencontros no Colégio Militar de Brasília (CMB). O estabelecimento de ensino celebrou os 40 anos do início de suas atividades letivas com uma formatura, realizada em 22 de março. A cerimônia contou com a presença de integrantes das turmas pioneiras, da 5ª a 8ª séries do antigo 1º Grau, além de professores e servidores civis que vivenciaram aquele momento histórico.

Daquela turma que começou a trajetória do CMB, em 5 de março de 1979, surgiram profissionais das mais diferentes vertentes. Os alunos de quatro décadas atrás transformaram-se em advogados, cirurgiões, engenheiros e até clérigos, como no caso do Padre Rebouças, Capelão do Corpo de Bombeiros Militar do Distrito Federal.

Naturalmente, muitos dos alunos pioneiros seguiram a carreira militar posteriormente. Entre eles, estava presente à solenidade o Brigadeiro Ary Soares Mesquita, Secretário de Assuntos de Defesa e Segurança Nacional do Gabinete de Segurança Institucional, primeiro oficial-general oriundo do CMB. "Vivi muito intensamente o colégio. Tenho certeza de que tudo o que consegui na vida veio da base que tive do Colégio Militar de Brasília, não só a base intelectual, como a base ética, as questões morais todas vieram daqui. É uma alegria sem par e uma sensação de agradecimento ao CMB por termos chegado onde chegamos", salientou.

Em posição de destaque no pátio de formaturas, os antigos alunos ficaram frente a frente com a nova geração de integrantes do CMB, representada por integrantes do Ensino Médio. Ao fazer uso da palavra, o advogado Sérgio Tenório de Albuquerque, um dos pioneiros, ressaltou que os novos alunos são herdeiros da tradição de excelência do colégio, tanto em termos de ensino como na formação de cidadãos. "Sintam-se privilegiados. O CMB mostra que a boa educação é capaz de fazer um país melhor. Todos somos gratos aos nossos professores e monitores, que nos ensinaram, primordialmente, a pensar", enfatizou.

Fonte: Agência Verde-Oliva


Crédito: Sgt Djalma