Seminário Internacional de Defesa Antiaérea gera integração de especialistas e expõe tendências do mercado

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 21 mar 2019
Crédito: S Ten Ageu Sousa

Brasília (DF) – O Estado-Maior do Exército (EME), por meio do Escritório de Projetos do Exército (EPEx), promoveu, entre os dias 20 e 21 de março, no Auditório Marcello Rufino, o 1º Seminário Internacional de Defesa Antiaérea com a participação de militares brasileiros, adidos militares das nações amigas, representantes da Base Industrial de Defesa e empresas estrangeiras convidadas.

O Seminário teve como objetivos divulgar o processo atual e ações futuras do Programa Estratégico do Exército Defesa Antiaérea; e reforçar as relações institucionais entre a Força Terrestre e as forças coirmãs, bem como os diversos órgãos e instituições que desenvolvem atividades voltadas ao Programa Estratégico do Exército Defesa Antiaérea. Além de fomentar a integração dos especialistas em artilharia antiaérea, o evento teve o propósito de fortalecer as ações entre a Defesa e Industria e expor as tendências do mercado internacional dos materiais de Defesa Antiaérea.

O 4º Subchefe do Estado-Maior do Exército, General de Divisão João Chalella Júnior, proferiu a palestra de abertura, que abordou a importância de integrar o Programa Estratégico do Exército Defesa Antiaérea com as demais Forças Armadas e as empresas especializadas. “Esse seminário é uma feliz ideia, pois podemos pensar em soluções para nossas necessidades, além de integrar os vários atores envolvidos no processo”, destacou o General.

A estrutura da defesa antiaérea do Exército Brasileiro e suas principais características foi o tema da palestra do General de Brigada Alexandre de Almeida Porto, Gerente do Programa Estratégico do Exército Defesa Antiaérea. Citando os grandes eventos sediados no Brasil, o General Porto enfatizou que eles apresentaram necessidades que abriram janelas de oportunidades para o Programa Estratégico desenvolver soluções para inúmeros problemas que surgiram. Segundo o General, graças à expertise desenvolvida nos grandes eventos, a defesa antiaérea hoje é empregada em atividades de garantia da lei e da ordem, por exemplo.

Para o Diretor de Vendas da Saab do Brasil, Tenente-Coronel R/1 Virgílio da Veiga Júnior, esse tipo de interação é importante, porque a evolução nesse campo é constante. “Realizar esse encontro permite a atualização de todos e o mercado pode apresentar o que há de mais moderno na área, além de consolidar a parceria do Exército com a indústria”, observou o Ten Cel Veiga.

O Programa Estratégico do Exército Defesa Antiaérea tem como objetivos recuperar e obter a capacidade do Sistema Operacional Defesa Antiaérea de Baixa e Média Altura, para permitir a proteção das estruturas estratégicas terrestres brasileiras, das áreas sensíveis e da Força Terrestre, quando de seu emprego.

Fonte: Agência Verde-Oliva


Crédito: S Ten Ageu Sousa