Honrarias e festa marcam o Dia do Quadro Auxiliar de Oficiais no município de Antônio João, Mato Grosso do Sul

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 26 nov 2018
Crédito: 1º Sgt Eberson

Dourados (MS) – No dia 23 de novembro, o Comando Militar do Oeste, por meio da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, realizou, no Parque Histórico Colônia Militar, em Bela Vista (MS), a solenidade alusiva ao Dia do Quadro Auxiliar de Oficias (QAO).

Dentre as atividades programadas, houve o descerramento do monumento Antonio João, onde aconteceu a foto anual dos participantes. Logo após, ocorreu a formatura geral. A solenidade contou com a presença do Comandante Militar do Oeste, General de Exército Lourival Carvalho Silva, do Comandante da 4ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, General de Brigada Lourenço William da Silva Ribeiro Pinho, além de autoridade civis locais.

No encerramento, houve uma encenação da Epopeia da Colônia Militar dos Dourados. Segundo conta a história, a colônia localizava-se na Serra de Maracaju, perto da nascente do Rio Dourados, a 12 léguas este-sudeste da Colônia Militar de Miranda, no atual município de Antônio João, Estado de Mato Grosso do Sul. No contexto da Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870), durante a invasão paraguaia, foi palco de um dos mais heroicos e honrosos capítulos da história do Exército Brasileiro, tendo como protaginista o Tenente de Cavalaria Antônio João Ribeiro, hoje Patrono do QAO.

 

 

Conheça um pouco sobre esse herói, Patrono do QAO

Antonio João Ribeiro nasceu em 24 de novembro de 1823, na Vila de Poconé, na Província de Mato Grosso. Ingressou no Batalhão de Caçadores nº 12 como soldado, em 1841, e trilhou uma brilhante carreira, percorrendo as graduações de cabo e sargento. Fruto de seu desempenho profissional, caráter e dedicação, foi promovido a alferes em 1852 e a segundo-tenente, com louvor, em 1860. 

Durante a Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870), com a invasão do Coronel paraguaio Vicente Barrios (Comandante da Divisão de Operações do Alto Paraguai), a Colônia Militar dos Dourados, um posto militar brasileiro avançado, era comandada pelo Tenente Antônio João.

Ciente do avanço de uma coluna de assalto paraguaia com cerca de 300 homens e da necessidade de manter a integridade física dos habitantes da região, ordenou a retirada dos civis para local seguro, evacuando-os sob a escolta de alguns soldados. Manteve, no entanto, a posição com o restante da guarnição: 15 homens, dentre oficiais e praças, sem artilharia.

Ante a intimação paraguaia de rendição, por ele rejeitada, Antônio João morreu em combate, junto a seus companheiros, em 29 de dezembro de 1864. Entre suas palavras finais, estavam: "Sei que morro. Mas o meu sangue e o de meus companheiros servirá como solene protesto à invasão do solo de minha Pátria".

 

O Quadro Auxiliar de Oficiais

O QAO foi criado pelo Decreto Presidencial n° 84.333, de 20 de dezembro de 1979. Essa medida possibilitou aos praças que honrosamente servem nas fileiras do Exército Brasileiro a ascensão ao oficialato. Tal distinção só se dá por merecimento, o que valoriza as qualidades demonstradas por subtenentes e sargentos ao longo da carreira.

 

Fonte: 4ª Bda C Mec


Crédito: 1º Sgt Eberson