Exército compra R$ 7,5 milhões em produtos da agricultura familiar para suprir organizações militares do Sul

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 22 nov 2018

Curitiba (PR) – O pagamento em dia e a garantia de mercado são atrativos para o agricultor familiar Genes da Fonseca Rosa quando o assunto é a modalidade Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), coordenado pelo Ministério do Desenvolvimento Social (MDS). Ele é diretor da União Nacional das Cooperativas da Agricultura Familiar e Economia Solidária (Unicafes) em Santa Catarina, que reúne 96 cooperativas no Estado. Várias delas participaram de chamadas públicas da 5ª Região Militar ( RM).

“O escoamento da produção é o um dos principais desafios do agricultor familiar. Quando participamos de uma chamada pública, como essa do Exército, já produzimos tendo certeza de que haverá a comercialização. Isso é um incentivo muito importante”, afirmou.

Assim como em Santa Catarina, agricultores familiares de todo o País também tiveram oportunidade de vender seus produtos para a 5ª RM ao longo do ano. Foram adquiridos mais produtos como arroz, feijão, café, carnes, sucos e leite em pó. Um investimento total de R$ 7,5 milhões, que corresponde a 32% de todo o recurso empregado na compra de alimentos para suprir os quartéis do Paraná e de Santa Catarina.

 

Agricultores de Chapecó e Cascavel querem mais

Em Chapecó (SC) e Cascavel (PR), os pequenos produtores querem aumentar a participação nas chamadas públicas do Exército, por meio da Compra Institucional do Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Cooperativas das duas regiões e representantes de organizações militares do Paraná e Santa Catarina participaram de eventos em que receberam orientações técnicas sobre essa modalidade.

A Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri) e o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater-PR) também auxiliam no levantamento de itens disponíveis para compra na área de abrangência da 5ª RM. “O PAA tem sido fundamental para a organização da produção, escalonamento e aprimoramento da qualidade, agregando renda às famílias. Essa aproximação com a 5ª Região Militar auxilia a dimensionar ainda melhor a produção a partir da necessidade do comprador. Assim, os agricultores buscam manter a frequência na oferta dos produtos requisitados”, relatou a coordenadora de Negócios e Mercados da Agricultura Militar da Emater-PR, Mary Stela Biefchos.

 

Apoio no desenvolvimento da economia regional

Na Compra Institucional, os agricultores familiares conseguem comercializar, de forma simplificada, seus produtos. A modalidade de aquisição também tem como foco o combate à pobreza no campo e ao êxodo rural, oferecendo oportunidade aos pequenos produtores de plantar mais e obter preço justo para sua produção.

Para as organizações militares, é uma oportunidade de receber produtos típicos da região, frescos e diversificados, e contribuir com a geração de renda. “Além de colaborar com o desenvolvimento da economia regional, a aquisição de gêneros alimentícios diretamente do produtor contribui com uma alimentação mais saudável e de qualidade dos nossos militares”, destacou o comandante da 5ª Região Militar, General Aléssio Oliveira da Silva.

Cada agricultor familiar pode comercializar, anualmente, até R$ 20 mil por órgão comprador. Para as cooperativas, o limite de comercialização é de R$ 6 milhões. Todas as chamadas públicas abertas podem ser encontradas no Portal de Compras da Agricultura Familiar.



Fonte:5ª RM