1ª Brigada de Artilharia Antiaérea participa da Operação Escudo Antiaéreo

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 19 out 2018
Crédito: Cb Ricardo

Guarujá (SP) – No período de 15 a 19 de outubro, a 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea (1ª Bda AAAe) participou da Operação Escudo Antiaéreo. O exercício foi coordenado pelo Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE) e teve como objetivo adestrar as tropas da 1ª Brigada de Defesa Antiaérea, da FAB, da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea, do Exército Brasileiro, e do BtlCtAetatDAAe, da Marinha do Brasil, visando a preparação para a realização da Defesa Aeroespacial, que muito contribui para a manutenção da soberana do espaço aéreo e para a integridade territorial brasileira.

A atividade foi concebida dentro de um ambiente de amplo espectro, procurando dar o máximo de realismo possível em cada fase da operação, possibilitando a realização do Grande Evento.

A Operação Escudo Antiaéreo foi dividida em quatro fases. A primeira foi desenvolvida num contexto de Grandes Eventos, com a realização da Proteção das Estruturas Estratégicas. Já as demais foram num contexto de Combate Convencional com a Preparação do Campo de Batalha e a Concentração Estratégica, a Obtenção do Controle do Ar com Interdição do Campo de Batalha e, finalmente, a Estabilização.

Durante a Operação, a 1ª Bda AAAe teve a missão de defender a Base Aérea de Santa Cruz, no Rio de Janeiro; o Aeroporto de Itanhaém; a Base Aérea de Santa Maria; a IVECO LATIN AMERICA, em Sete Lagoas; a Base Aérea de Anápolis; e a Base Aérea de Boa Vista.  

O desenvolvimento das atividades foi acompanhado por diversas autoridades, dentre as quais destacamos o General de Exército Joaquim Silva e Luna, Ministro da Defesa; o Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Vuyk de Aquino, o Comandante do COMAE; o Brigadeiro de Infantaria Luiz Marcelo Sivero Mayworm, Comandante da 1ª BDAAE; e o General de Brigada Alexandre de Almeida Porto, Comandante da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea.

Por fim, os Comandantes destacaram o alto nível de desempenho da tropa na parte logística, realizando grandes deslocamentos, e na parte operacional, aperfeiçoando táticas, técnicas e procedimentos doutrinários.

 

Material Antiaéreo utilizado no exercício:

COAAe  O Centro de Operações Antiaéreas realiza a coordenação, o controle e o emprego dos sistemas de armas. Atualmente, está sendo utilizado o Shelter COAAe S-788BR, equipamento desenvolvido pela empresa Orbisat (atual Bradar), do grupo Embraer Defesa e Segurança, em parceria com o Centro Tecnológico do Exército.

RADAR SABER Equipamento de busca de alvos que se destina a integrar um sistema de defesa antiaérea de baixa altura, visando à proteção de pontos e áreas sensíveis, como indústrias, usinas e instalações governamentais, desenvolvido pelo Centro Tecnológico do Exército em parceria com a Orbisat (atual Bradar).

MÍSSIL IGLA  O míssil russo IGLA - 9K38 é um míssil portátil SAM (superfície-ar) com cabeça de guiamento infravermelha. Ele chegou ao Brasil em 1994 e é uma versão muito mais avançada do SA-7 STRELA. Pode ser lançado em qualquer direção, inclusive contra a aeronave que se aproxima, pois não precisa esperar que a aeronave passe, uma vez que se dirige ao alvo, detectando o calor na estrutura do avião e, não somente, no calor das turbinas.

MÍSSIL RBS-70 é um míssil superfície-ar (SAM) portátil de 15Kg de peso, guiado a laser (Beam Rider), fabricado pela SAAB Bofors é utilizado por vários países. Pode ser usado para a defesa de área, aeródromos, comboios ou para complementar outros sistemas.



Fonte:1ª Bda AAAe