Futuros Adjuntos de Comando participam de Pedido de Cooperação de Instrução em Santa Maria (RS)

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 12 set 2018
Crédito: Sd Henckes

Santa Maria (RS) – No período de 9 a 11 de setembro, os Alunos do Curso de Adjunto de Comando, que ocorre na Escola de Aperfeiçoamento de Sargentos das Armas (EASA), sediada em Cruz Alta (RS), participaram de um Pedido de Cooperação de Instrução na “Capital dos Blindados”.

A turma de alunos é constituída por 90 Subtenentes e Primeiros Sargentos, de todas as regiões do Brasil; um Master Sergeant dos Estados Unidos da América; e de um Policial Militar do Estado de São Paulo. Após o Curso, que tem a duração de 10 semanas, sendo 6 semanas na modalidade de ensino a distância e 4 semanas presenciais, na EASA, os militares estarão habilitados para ocupar e exercer o cargo de Adjunto de Comando em suas organizações militares.

Na primeira jornada, visitaram o 3º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado,  Unidade de Artilharia mais antiga e tradicional do Exército Brasileiro, onde conheceram o Memorial Mallet, com destaque ao Mausoléu, que guarda os restos mortais do Marechal Emílio Luiz Mallet, Patrono da Artilharia Brasileira, e de sua mulher, Joaquina.    

O segundo dia, que transcorreu no 4º Batalhão Logístico, iniciou com uma palestra do Comandante da 3ª Divisão de Exército (3ª DE), Divisão Encouraçada, General de Divisão Mauro Sinott Lopes, que abordou a importância do Adjunto de Comando, para assessorar com oportunidade o comando, nas questões sensíveis envolvendo as Praças.

O Comandante da 6ª Brigada de Infantaria Blindada General de Brigada Giovany Carrião de Freitas, destacou o projeto “Dimensão Humana”, que visa valorizar a vertente humana da brigada, desenvolvido com a participação dos Adjuntos de Comando.

A realização de um painel com os sete Adjuntos de Comando da guarnição Santa Maria, serviu para os alunos entenderem as especificidades do cargo, retiradas de dúvidas sobre a função e as melhores práticas realizadas na “Capital dos Blindados”.

“Foi uma oportunidade de deixar a teoria de lado e ter contato com a prática, o dia a dia da função, pois tivemos um painel com todos os Adjuntos de Comando da Guarnição, onde tivemos a oportunidade de dirimir dúvidas sobre a aplicação dos conhecimentos, bem como, entender de que forma ele pode ser relevante no desempenho do cargo”, destacou o Subtenente Luis Carlos Silveira Lemes, da Base de Administração e Apoio da 5ª Divisão de Exército, localizada em Curitiba (PR).

Na última jornada, visitaram o Centro de Instrução de Blindados e o Centro de Adestramento – Sul (CA-SUL), que formam um dos polos de excelência da Força Terrestre e que materializa um “salto para o futuro” da Instituição.

A visita iniciou no CA-SUL, que tem como missão, contribuir no adestramento de tropas de qualquer natureza, preferencialmente blindadas e mecanizadas, para as Operações de Amplo Espectro, por meio da imitação do combate, com ênfase na utilização de meios de simulação. Nesse local, os alunos conheceram o Simulador de Apoio de Fogo (SIMAF), o Posto de Observação e a Linha de Tiro.

No Centro de Instrução de Blindados (CI Bld), que tem por missão especializar militares das Forças Armadas e de Nações Amigas na operação de meios blindados e mecanizados e no emprego tático de frações de mesma natureza até o nível Subunidade, os visitantes conheceram as Seções de Manutenção, de Operações em Blindados e de Simuladores.

Para finalizar, tiveram a oportunidade de conhecerem o pavilhão de manutenção e a seção de instrução de blindados do 1º Regimento de Carros de Combate.

O Adjunto de Comando da 3ª DE, Subtenente Paulo Romário Dias Carvalho, enfatizou aos alunos a importância de quando assumirem a função, saber a intenção do comandante, dessa forma estarão em condições de elaborar e desenvolver projetos em prol da unidade militar, principalmente voltado aos subtenentes, sargentos, cabos e soldados.

 

Cargo de Adjunto de Comando

A essência da atuação do Adjunto de Comando no exercício de suas atribuições é a tropa, razão principal da Instituição. É para ela que existe toda uma estrutura que proporcione condições ideais de preparo e de emprego. Assim, de acordo com a organização existente, há a necessidade do cargo nos órgãos pertencentes à Alta Administração do Exército, devido à relevância, à importância e à abrangência das decisões. A presença e o assessoramento do Adjunto de Comando nesse nível, considerando a experiência e o conhecimento, são importantes para a tomada de decisão nos assuntos relacionados às praças.


A criação do cargo tem, entre outros, o objetivo de distinguir o subtenente ou o primeiro sargento que apresente destacada liderança, reconhecida competência profissional e ilibada conduta pessoal, valorizando assim a carreira do graduado.

O Adjunto de Comando terá como atribuições: ser divulgador da Ética e dos Valores Militares, ser fortalecedor dos padrões do Comportamento Militar, ser o facilitador da comunicação entre o Comando e as praças, ser divulgador da missão e da visão da Unidade e dos conceitos do Comando, assessorar o Comando em assuntos disciplinares, de instrução, do bem-estar, incluindo o da Família Militar, e em outros que envolvam as praças.

Essa missão emprestará a seus detentores enorme carga de responsabilidade, que exigirá alto grau de profissionalismo e conhecimento da profissão militar.



Fonte:3ª DE

Crédito: Sd Henckes