Famílias de Clevelândia do Norte entusiasmaram-se ao verem o primeiro poço artesiano, construído por um esforço conjunto de diversas organizações militares do Comando Militar do Norte.

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 21 ago 2018

Clevelândia do Norte (AP) – No dia 10 de agosto, as famílias de Clevelândia do Norte se entusiasmaram ao ver o primeiro poço artesiano, construído por um esforço conjunto de diversas organizações militares, jorrar água potável. Com 54 metros de profundidade, ele produz 5.000 litros/hora, sendo capaz de abastecer as mais de 800 pessoas entre militares, dependentes e civis que residem na fronteira com a Guiana Francesa. Com a perfuração do segundo poço, que está em andamento, o Comando Militar do Norte (CMN) realizará um antigo anseio da localidade.

Desde 1922, quando da instalação da Colônia Agrícola, Clevelândia é abastecida pela água do rio Oiapoque, após tratamento precário em uma estação local. Idealizada pelo CMN, a Operação Clevelândia do Norte (CLNO) mobilizou militares do 1º Grupamento de Engenharia, por meio do 1º Batalhão de Engenharia de Construção, do 2º Grupamento de Engenharia, por meio do 8º Batalhão de Engenharia de Construção, e do 3º Grupamento de Engenharia, por meio do 9º Batalhão de Engenharia de Combate, especializados nas técnicas mais avançadas para a perfuração de poços.

O CMN, por intermédio desde destacamento, melhora as condições de vida da família militar destacada naquela distante região, bem como aumenta a capacidade operacional das tropas da 22ª Brigada de Infantaria de Selva para a defesa e proteção da Amazônia Oriental.



Fonte:CFAP/34º BIS