Concessão de Denominação Histórica: “Batalhão General Felippe Antonio Xavier de Barros”

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 14 ago 2018
Crédito: St Araújo, Sd Wilson e Sd Waldera

Curitiba (PR) – Na manhã de 10 de agosto de 2018, aconteceu, no aquartelamento da “Ponte Preta”, sede do 5º Batalhão de Suprimento (5º B Sup), a formatura alusiva à Concessão de Denominação Histórica do 5º Batalhão de Suprimento.

Por intermédio da Portaria nº 1.100, de 18 de julho de 2018, publicada no Boletim do Exército nº 30, de 27 de julho de 2018, foi concedida ao Batalhão a Denominação Histórica “Batalhão General Felippe Antonio Xavier de Barros”.

Durante a solendiade, o 1º Sgt Marcelo Capelari, presidente da Comissão de Pesquisa Histórica da proposta de Concessão, realizou a leitura sobre os fatos notáveis da vida do Gen Felippe Antonio Xavier de Barros.

 

Quem foi o General Felippe Antonio Xavier de Barros

Nascido em 5 de novembro de 1878, na cidade de Taguatinga, então pertencente ao Estado de Goiás, Felippe Antonio Xavier de Barros incorporou no Exército Brasileiro em 1º de março de 1897 como voluntário para servir por cinco anos como recruta no 20º Batalhão de Infantaria. No entanto, ao término do 1º ano, já havia obtido licença para matricular-se na Escola Militar, no Rio Grande do Sul, apresentando-se em 2 de abril de 1898.

Foi nomeado alferes-aluno em 1904 e promovido ao posto de segundo-tenente da Arma de Cavalaria, sendo posteriormente transferido para a Arma de Infantaria em 1907.

No ano seguinte, concluiu o Curso de Estado-Maior e de Engenharia Militar, sendo conferido o Grau de Bacharel em Matemática e Ciências Físicas e designado para servir na Direção Geral de Engenharia e Estado-Maior do Exército.

No 1º Batalhão de Engenharia, o então Segundo-Tenente Felippe Antonio Xavier de Barros participou da Comissão de Construção da Vila Militar do Rio de Janeiro (RJ).

Destaque especial merece a participação do então Primeiro-Tenente Felippe Antonio Xavier de Barros, quando irrompeu a Rebelião dos Marinheiros na cidade do Rio de Janeiro, que, como oficial subalterno, soube agir nas bases do 1º Batalhão de Engenharia para garantir a ordem e a disciplina.

Como Capitão, prestou concurso a Intendente de Guerra e, dessa feita, dava início à sua bem sucedida carreira como Intendente, sendo transferido, em junho de 1921, para o Quadro de Intendentes como Major.

Após concluir o curso da Escola Superior de Intendência, trabalhou intensamente por esse Quadro, vindo a assumir o Comando da Escola de Intendência como Tenente-Coronel.

Em 18 de maio de 1929 foi promovido ao posto de General de Brigada e assumiu o cargo de Diretor da Diretoria Geral de Intendência da Guerra.

Alvo de inúmeros elogios por seu trabalho na Diretoria Geral de Intendência da Guerra, coube ao Gen Bda Int de Guerra Felippe Antonio Xavier de Barros a organização dos Serviços de Subsistência Regionais, dentre os quais o Serviço de Subsistência Regional da 5ª Região Militar, criado por intermédio do Decreto nº 24.287, de 24 de maio de 1934, cujo item I previa a organização completa dos Serviços de Subsistência das 2ª, 3ª e 5ª Regiões Militares, que foi a origem do atual 5º Batalhão de Suprimento.

 



Fonte:5º B Sup

Crédito: St Araújo, Sd Wilson e Sd Waldera