Capacitação de Oficiais QEMA em Comunicação Social e formação de Correspondentes em Assuntos Militares.

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 15 jun 2018

Brasília (DF) – Entre os dias 4 e 15 de junho de 2018, ocorreu o Estágio de Comunicação Social para oficiais do Quadro de Estado-Maior da Ativa (QEMA). Essa atividade de ensino teve os seguintes objetivos: capacitar 24 oficiais, do Exército Brasileiro e da Marinha do Brasil, a desempenhar funções que demandem ações de relações públicas, comunicação institucional ou interação com a mídia nacional e internacional; conhecer e atualizar as técnicas e os procedimentos mais comuns no dia a dia das atividades de Comunicação Social (Com Soc); e ampliar a cultura de Com Soc, por intermédio de palestras proferidas por profissionais de saber na área de jornalismo.

A cerimônia de abertura do estágio ocorreu no dia 4 de junho, com a apresentação do General de Divisão Otávio Santana do Rêgo Barros, Chefe do Centro de Comunicação Social do Exército (CCOMSEx), com o tema “A conjuntura atual e o Sistema de Comunicação Social do Exército (SISCOMSEx)”.

Sob a coordenação do CCOMSEx, foram ministradas instruções e palestras tanto por militares quanto por professores e jornalistas civis. Os profissionais da mídia que compartilharam suas visões e experiência com os estagiários, e os respectivos temas abordados, foram os seguintes:

– Sra. Eliane Cantanhêde, Colunista do Estadão e comentarista do Globonews Em Pauta: “O trabalho de imprensa e análise do cenário político brasileiro”;

– Sra. Jô Mazzarolo, Diretora da TV Globo Nordeste: “Os desafios da Comunicação Social no Brasil”;

– Sr. Prof. Dr. Manoel Henrique, Coordenador dos cursos de Jornalismo e Publicidade e Propaganda do UniCEUB: “A formação acadêmica do atual profissional de mídia”;

– Sr. Sidney Rezende, Diretor do Portal de Notícias Rádio SRzd: “O relacionamento do Exército e a imprensa na era da Informação”;

– Sr. Mário Andrada, Gestor de crises nas Olimpíadas 2016: “A assessoria de imprensa nas Olimpíadas de 2016”;

– Sr. Prof. Dr. Paulo Nassar, Professor Titular ECA-USP e Diretor-Presidente da Aberje: “Os desafios das Relações Públicas no mundo digital”;

– Sr. João Forni, Mestre em gestão de crise: “Gestão de crise e comunicação organizacional”;

– Sra. Natália Lambert, Coordenadora de Comunicação Social da Associação Nacional dos Procuradores da República: “A mídia impressa versus Fakenews”; e

– Sra. Elane Cajazeira, Assessora de Comunicação Social da CCOMSEx: “Orientações para entrevista de mídia”.

 

O estágio foi muito importante para a capacitação dos oficiais do QEMA. De acordo com o Tenente-Coronel André Dias, do Comando Militar do Leste (CML), “o evento constitui oportunidade ímpar para adquirir conhecimentos, compartilhar experiências, padronizar procedimentos e, sobretudo, integrar militares de diversos comandos militares de área, representantes de outras Forças, como por exemplo a Marinha do Brasil, e estudantes universitários de diferentes estabelecimentos de ensino superior de Brasília, futuros profissionais de comunicação social do País”.

 

 

Estágio de Correspondentes de Assuntos Militares

No mesmo período, estudantes de jornalismo da Capital Federal participaram do Estágio de Correspondentes de Assuntos Militares (ECAM). Essa atividade de ensino teve por objetivo familiarizar os futuros profissionais de mídia com as particularidades das atividades desenvolvidas pelas Forças Armadas, desenvolvendo as competências necessárias para que realizem coberturas mais precisas e completas de assuntos militares.

Para isso, houve, no decorrer do período, palestras e práticas na área de jornalismo e oficinas de instrução de natureza militar, como, por exemplo, progressão individual em áreas de risco.

Foram 18 universitários de jornalismo, de comunicação social ou de relações públicas das seguintes instituições de ensino superior do Distrito Federal: Centro Universitário de Brasília (UniCEUB), Instituto de Ensino Superior de Brasília (IESB), Anhanguera, Universidade Católica de Brasília (UCB) e Universidade Paulista (UNIP).

Buscando aumentar o realismo dos exercícios simulados, integraram-se atividades do ECAM com os oficiais do quadro de Estado-Maior. Destaca-se, dentre as atividades realizadas, as oficinas práticas e integradas nas instalações do curso de jornalismo do UniCEUB.

Para os jovens universitários, o ECAM marcou a formação profissional e aumentou o conhecimento sobre o Exército Brasileiro. O jovem Werveson Silva Ferreira, universitário do 5º semestre de Comunicação Social – jornalismo, do IESB, afirmou que “o ECAM foi muito importante, pois nem todos têm a oportunidade de conhecer a estrutura do Exército Brasileiro como nós tivemos, de aprofundar a discussão sobre assuntos atuais na área do jornalismo como as fakenews. Além disso, pudemos nos relacionar com outros universitários e com os oficiais do Exército e da Marinha”.

Para Micaela de Jesus Lisboa, do 8º semestre de jornalismo da UCB, “o que mais me marcou foi a parte prática do estágio. Apesar de termos o conhecimento teórico, a prática é muito importante, como por exemplo, o treinamento da simulação na favela feita pelo pessoal do Batalhão da Guarda Presidencial. Esse exercício demonstrou uma situação de conflito que pode ocorrer tanto no Brasil como no exterior, por exemplo, no Haiti, e que se aproximou muito com a realidade de um correspondente de assuntos militares”.

O ECAM também atingiu aqueles universitários que estão no início de sua formação acadêmica. Clara de Lima Ramos, do 1º semestre de jornalismo da UNIP, foi uma delas, que deixou seu testemunho: “estou no início do curso de jornalismo, e sei que quero trabalhar na Televisão. O ECAM foi muito importante, pois pude me relacionar com várias pessoas, e participei de atividades práticas como o Dia Verde juntamente com o pessoal do BGP. Simularam situações em que nos enviaram como jornalistas para fazer a cobertura de uma operação militar, por exemplo, na Favela da Rocinha ou no Haiti. Aprendemos técnicas para evitar um possível acidente e nos proteger de riscos e perigos das operações militares desta natureza”.



Fonte: Agência - Verde-oliva