Celebração ao Dia da Arma de Cavalaria

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 14 mai 2018

Francisco Beltrão (PR) – O 16º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado rendeu homenagens ao Dia da Cavalaria em cerimônia realizada no dia 12 de maio, presidida pelo Comandante do Esquadrão. A formatura contou com a presença de várias autoridades civis, de familiares e da banda de música da 15ª Brigada de Infantaria Mecanizada, que muito contribuiu para abrilhantar ainda mais o evento.

Na oportunidade, foi realizada a entrega de Diplomas de Amigo do Esquadrão às personalidades civis: Mário Mattei Filho, Proprietário da Mardek Laser Gravações; Joares Paes, proprietário da Odonto Tec Serviços Odontológicos; e Maici Duarte Leite, Coordenadora do Curso Superior de Licenciatura em Informática - UTFPR. Todos esses agraciados, de alguma forma e dentro de suas áreas de atuação, auxiliaram o 16º Esqd C Mec para bem cumprir a sua missão constitucional.

Na sequência, foi realizada a entrega, ao representante, Elois Felício Rodrigues, do Prefeito Municipal de Francisco Beltrão, Cleber Fontana, da Medalha do “Sesquicentenário do Conflito da Tríplice Aliança”. A presente honraria, criada em âmbito Exército Brasileiro, rememora a guerra da Tríplice Aliança como evento político e militar, marcante para a história de todos os países envolvidos, sendo oferecida como homenagem e agradecimento aos grandes e relevantes serviços prestados à Força.

 

A Cavalaria do Exército Brasileiro

A origem da Cavalaria do Exército Brasileiro remonta à história da própria delimitação territorial do País, da sua Independência e da Proclamação da República. Desde o nascimento da Nação brasileira, o Exército fez-se presente nos momentos históricos mais importantes, tendo o dorso do cavalo servido como trono aos nobres heróis que guiaram as evoluções sociopolíticas do nosso País.

Proveniente da palavra “AKVA”, que na tradução livre do sânscrito significa “combater em vantagem de posição”, a Cavalaria é, nas palavras do General francês Weygand, participante ativo das principais batalhas das I e II Guerras Mundiais, “uma Arma mais rápida do que o conjunto do corpo de batalha, cuja missão será reconhecer, manobrar, perseguir, e que, levada pelo cavalo ou pela máquina, encontrará sempre o sucesso na audácia, na velocidade, na surpresa”.

Peça de manobra fundamental no que tange às operações de guerra regular e guerra irregular, bem como em ações de não guerra por parte da Força, essa Arma é caracterizada pela sua alta mobilidade, pela potência de fogo, pela proteção blindada, pela ação de choque pelas comunicações amplas e flexíveis e, acima de tudo, pelo espírito impetuoso e arrojado dos seus soldados. A Cavalaria revela-se fator preponderante para o sucesso das manobras militares, seja pelo reconhecimento do terreno e do inimigo antes de uma missão, seja no estabelecimento da segurança perimetral das tropas empregadas e, ainda, nas ações cívico-sociais.

O seu Patrono, o Marechal Manoel Luís Osorio, nascido na Fazenda Nossa Senhora da Conceição do Arroio, atual município de Osório, Rio Grande do Sul, traz, em sua personalidade, todos os traços inerentes ao soldado do Brasil: amor à Pátria, culto às tradições, nobreza nas suas atitudes, humildade e simplicidade no trato com os irmãos de Arma, coragem e impetuosidade ante o inimigo.

“Um toque singular anunciava sua chegada e a soldadesca, acostumada com aquele General que ‘sabia bater-se, sofrer e gracejar como um soldado raso’, exclamava, com alegria e familiaridade: ‘Aí vem Manoel Luís!’ ”.



Fonte:16º Esqd C Mec