Dia da Vitória

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 08 mai 2018

Francisco Beltrão (PR) – No dia 7 de maio, o 16º Esquadrão de Cavalaria Mecanizado (16º Esqd C Mec) realizou uma formatura, com o intuito de celebrar o Dia da Vitória. Na oportunidade foi proferida a leitura do texto alusivo à data.

O dia 8 de maio de 1945 notabilizou-se nas páginas da História pela rendição incondicional da Alemanha nazista e pelo consequente fim da Segunda Guerra Mundial, com a capitulação do eixo Berlim-Roma-Tóquio.

Após 72 anos do grito de Vitória e do triunfo das forças democráticas, reverenciamos a todos que lutaram pelo espírito de liberdade no mais abrangente e atroz conflito da História da humanidade.

Desde o início da Guerra, em 1939, o Brasil, coerente com sua tradição conciliadora, mantivera-se neutro no conflito. Entretanto, os caminhos para uma solução pacífica, a cada dia, tornavam-se mais distantes.

A agressão configurada pelo torpedeamento e afundamento de 12 navios mercantes, a poucas milhas da costa brasileira, vitimando mais de 500 pessoas, foi determinante para a declaração de guerra à Alemanha e à Itália.

A grande Nação brasileira, diante da ameaça à integridade e à soberania nacionais, atendeu, com coragem e nobreza de propósitos, ao esforço de mobilização.

Apesar das dificuldades de toda ordem, a Força Expedicionária Brasileira (FEB), formada por cerca de 25.000 jovens, oriundos de diversas regiões do País, cruzou os mares em direção ao teatro de operações Europeu, onde escreveria sua épica participação no conflito.

Após um curto período de instrução na Itália, as necessidades da Guerra impuseram ao Brasil uma entrada prematura na frente de batalha, tendo o seu batismo de fogo no Vale do Rio Serchio, libertando as cidades de Massarosa, Camaiore e Monte Prano.

Para aqueles que julgavam ser mais fácil uma cobra fumar que o Brasil ir à guerra, estava provado o contrário. Nossa tropa superou todas as expectativas, impondo-se com moral, bravura e disciplina.

Os pracinhas, como eram chamados os soldados brasileiros, de origem humilde, mas com inegável determinação, enfrentaram o terreno desfavorável, o inverno rigoroso e um inimigo intrépido e aguerrido.

Foram esses mesmos pracinhas que conquistaram o respeito dos exércitos aliados, levando, com generosidade e espírito humanitário, a esperança ao sofrido povo italiano.

A coragem do soldado brasileiro foi reconhecida, inclusive, pelo próprio inimigo. Dos inúmeros combates travados, destacam-se as vitórias alcançadas em Monte Castello, Monte Belvedere, Castelnuovo, Zocca, Collechio e Fornovo di Taro. Em Montese, já no final da Guerra, tombaram o bravo Sargento Max Wolff Filho e o Aspirante Francisco Mega, heróis que deixaram seus nomes gravados como marco indelével na história militar brasileira.

O dia 8 de maio retrata, mais do que tudo, a vitória dos valores da democracia, da justiça e da liberdade sobre as forças da opressão e da intolerância, representadas pelos países do Eixo e seus regimes totalitários.

Ao relembrarmos os sacrifícios e as glórias do Brasil na Segunda Guerra Mundial, lembramos, também, de todos aqueles que enfrentaram as agruras do combate e, particularmente, a memória dos que perderam suas vidas a serviço do País, deixando para a nossa e para as futuras gerações um inestimável legado de valores e virtudes.

 



Fonte:16º Esqd C Mec