Militares em patrulha, durante Operação Poraquê, combatem extração ilegal de minérios na Região Amazônica.

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 10 abr 2018

Tabatinga (AM) – O Comando de Fronteira Solimões/8º Batalhão de Infantaria de Selva (Cmdo Fron Solimões/8º BIS), “Batalhão Forte São Francisco”, prossegue com as atividades na faixa de fronteira dentro da Região Amazônica, com ações englobadas no Nível III da Operação Ágata, que recebe a denominação Curare – Poraquê III. Assim, no dia 7 de abril, durante um patrulhamento fluvial na calha do Rio Solimões, entre os municípios de Jutaí e Tonantins, um Destacamento de Operações na Selva da organização militar realizou a abordagem de uma draga.

Durante a inspeção, foi constatado que seu proprietário não possuía licença para a atividade de extração de minérios, o que levou à sua autuação por fiscais do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA), que, como outros órgãos de fiscalização e segurança, participam de modo conjunto das ações desencadeadas. Por estar operando em local não permitido, a embarcação teve, ainda, o equipamento apreendido.

No dia 5, a organização militar, ampliando suas atividades na região, realizara contato telefônico com o município de Santo Antônio do Iça (AM), a fim de estreitar relações com a tropa e demais órgãos e Forças que atuam na região, de forma integrada e conjunta.

Ainda em 5 de abril, o 8º BIS realizou uma ação cívico-social em Santo Antônio do Iça, disponibilizando para a comunidade serviços de saúde, com o apoio de enfermeiros do Centro de Saúde local. Desse modo, foram efetivados mais de 50 atendimentos médicos, além da entrega de medicamentos a pacientes que o necessitavam.

Em 6 de abril, o Comandante do 8º BIS concedeu uma entrevista coletiva para meios de comunicação de Tabatinga (AM), com o objetivo de tratar sobre o balanço das atividades da Operação Poraquê III, bem como dar maior publicidade para as ações ocorridas.

A entrevista se deu nas dependências do Aeroporto Internacional de Tabatinga, e os repórteres puderam participar, posteriormente, de um patrulhamento de reconhecimento aeromóvel, ao longo da calha do Rio Solimões.

 



Fonte:Cmdo Fron Solimões/8º BIS