Cadetes destaques na AMAN visitam a École Militaire da França

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 18 dez 2017

Resende (RJ) – A formação do oficial do Exército Brasileiro (EB), na Academia Militar da Agulhas Negras (AMAN), é fundamentada, dentre outros aspectos, em currículo com disciplinas exatas e humanas do ensino acadêmico comum, bem como específicas do ensimo militar. Dentre as disciplinas do ensino militar, o cadete, como é denominado o militar aluno da AMAN, estuda a História Militar e realiza, também, atividades psicomotoras, a exemplo da equitação.

No dia 6 de dezembro de 2017, os então cadetes destaques nas atividades de equitação, recém promovidos a aspirantes a oficial, Eder Lucas Colpo dos Santos e João Pedro Hassen Fougo Reis e, também, os cadetes destaques no estudo da História Militar Matheus Alves Rodrigues Gonçalves e Mateus Ribeiro dos Santos, acompanhados do Major Fabiano da Silva Moreira, instutor da AMAN, visitaram a École Militaire.

A École Militaire fica localizada numa das extremidades do Champ de Mars, em Paris. Ela foi criada pelo Rei Louis XV, no século XVII, após a Guerra de Sucessão da Áustria. Mesmo com as conquistas territoriais pela França no referido conflito, constatou-se que seria necessária a criação da referida escola para melhorar a preparação dos regimentos reais. Para isso, deveria-se proporcionar formação militar aos jovens nobres que haviam nascido desprovidos de bens para realizar seus estudos, mas que desejassem seguir a carreira das armas. Foi na referida escola que Napoleão Bonaparte concluiu os seus estudos, em 1785. Nas suas instalações estudaram, mais tarde, os marechais Foch e De Gaule, dentre outros ícones.

Ao longo da sua história, o prédio da École Militaire abrigou diferentes organizações, a exemplo do Gabinete e Quarte-General de Napoleão Bonaparte (1795). Ela foi ocupada pelas tropas nazistas durante a II Guerra Mundial, sendo reconquistada na Liberação de Paris, em 25 de agosto de 1944.

Atualmente, na École Militaire funcionam diversas organizações do Ministério da Forças Armadas Francesas e das correspondentes forças singulares. Dentre elas, identificam-se  a Biblioteca Patrimonial (com mais de duas mil publicações históricas, inclusive documentos de Napoleão), e a École de Guerre, onde atualmente um major do EB frequenta curso correspondente ao da Escola de Comando e Estado-Maior (ECEME). Nas suas instalações, localiza-se, também, o Posto do Oficial de Ligação do EB junto ao Exército da República Francesa.



Fonte:AMAN