Inauguração da tela “Noticiário da Frota”

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 30 nov 2017

Brasília (DF) – No dia 28 de novembro, o Centro de Comunicação Social do Exército inaugurou, em suas instalações, a tela “Noticiário da Frota”, de autoria do Coronel R1 Pedro Paulo Cantalice Estigarríbia. A pintura retrata o português Pero Vaz de Caminha como noticiador oficial da frota portuguesa, entregando a carta que relata as descobertas em território brasileiro para o Rei Dom Manuel I. O Chefe do Centro de Comunicação Social do Exército, General de Divisão Otavio Santana do Rêgo Barros, convidou o artista para descerrar o quadro.

“Quando organizada a Frota de Cabral, além dos suprimentos, do instrumental náutico e dos marujos armados, cuidou a Corte de incluir na tripulação um escriba, Pero Vaz de Caminha. Foi ele quem redigiu a carta de 26 páginas, narrativa pormenorizada sobre as gentes, a vegetação, a pouca fauna encontrada, enfim, tudo o quanto pôde observar nos dias em que os portugueses estiveram em terras recém-descobertas. O quadro ilustra o que poderia ter sido a entrega da carta de Pero Vaz, noticiador oficial da tropa. O Rei Dom Manuel I, “o Venturoso”, leu, uma a uma, as folhas da extensa escrita. Estavam à mostra, ainda, mudas de plantas, colares de contas, cocares, arcos, flechas, outros manuscritos e um papagaio. Parece-nos que o primeiro completo noticiário do Brasil foi aquela carta, considerada a nossa certidão de nascimento. É o primeiro e competente escrivão, o português Pero Vaz de Caminha”, explica o artista.

 

O artista

O Coronel Estigarríbia é Bacharel em Artes Plásticas pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), turma de 1995, tendo seus méritos reconhecidos no meio cultural do Estado do Rio Grande do Sul pelo conjunto de sua obra. Exerce funções de Assessoria Cultural junto ao Exército desde 1994, tendo como missão o registro de episódios da história militar do Brasil.

Verdadeira "lenda" no âmbito da Força Terrestre, Estigarríbia tem suas obras espalhadas por diversas Organizações Militares em todo o território nacional, contribuindo para a preservação da memória de episódios militares.

Somente no Salão Guararapes, localizado no Forte Caxias –  Quartel-General do Exército, em Brasília, conta com onze de suas obras, as quais representam, artística e cronologicamente, episódios da história do Exército Brasileiro, desde suas origens durante a Insurreição Pernambucana, até sua vitoriosa participação na Segunda Guerra Mundial. Todas foram batizadas pelo próprio autor e produzidas durante os anos de 1997 e 1998.



Fonte:Agência Verde-Oliva