Rio de Janeiro: ações pontuais e foco no trabalho de inteligência, cerco e logística enfraquecem o crime.


Publicação: Seg, 30 Out 2017 16:20:00 -0200

Rio de Janeiro (RJ) – Desde o dia 28 de julho, as Forças Armadas atuam em apoio ao Plano Nacional de Segurança Pública (PNSP), que prevê a atuação de Marinha, do Exército e da Aeronáutica em ações de Garantia da Lei e da Ordem (GLO), em coordenação com os órgãos de segurança pública. Em quatro meses, as Operações resultaram em 163 pessoas presas e doze menores apreendidos. Segundo a Secretaria de Estado de Segurança do Estado do Rio de Janeiro (SESEG), foram apreendidos 26 fuzis, 126 carregadores de fuzis, 25 pistolas, uma espingarda calibre 12, três revólveres, 22 granadas, 3.766 munições de calibres variados, 118 veículos, 2,2 toneladas de maconha, 14 quilos de cocaína, 1,97 quilo de haxixe, entre outros.

 

As ações são pontuais e têm foco no trabalho de inteligência, cerco e logística, com o objetivo de enfraquecer as organizações criminosas. Já foram realizadas 11 operações, em diversas comunidades do Rio de Janeiro, na Zona Norte e Zona Sul, além de Niterói, São Gonçalo e Duque de Caxias, municípios da região metropolitana da Capital. O início das atividades, em julho, foi um trabalho de reconhecimento, ambientação do terreno e obtenção de dados na região metropolitana do Rio.

O emprego das Forças Armadas para a Garantia da Lei e da Ordem no território fluminense encontra amparo jurídico no Decreto do Poder Executivo de 28 de julho de 2017 e na Diretriz Ministerial Nº 16/2017, do Ministério da Defesa. O Estado-Maior Conjunto, operando dentro do Comando Militar do Leste (CML), composto por representantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, além de órgãos de segurança pública federais e estaduais, permanece em condições de realizar o planejamento e a coordenação de novas ações integradas, sempre mediante solicitação da Secretaria de Estado de Segurança do Rio de Janeiro.

 

Relembre as Operações

Operação Furacão I (28 de julho): em diversos pontos da Região Metropolitana do RJ;

Operação Furacão II (4 de agosto): no Complexo do Lins de Vasconcelos (Zona Norte/RJ);

Operação Furacão III (16 de agosto): Comunidades de Grota, Caramujo, Igrejinha, Preventório, Atalaia e Ititioca, em Niterói (região metropolitana/RJ);

Operação Furacão IV (21 de agosto): nas Comunidades do Jacarezinho, Alemão, Manguinhos, Mandela, Bandeira 2, Parque Arará, Mangueira, Barro Vermelho e Sapinho, bem como no Condomínio Morar Carioca (Zona Norte/RJ);

Operação Furacão V  (22 a 29 de setembro): na Rocinha (Zona Sul/RJ)

Operação Furacão VI  (27 de setembro): nas Comunidades do Barro Vermelho, Sapinho e Geruza, em Duque de Caxias (Baixada Fluminense);

Operação Furacão VII   (1º de outubro): no Morro da Babilônia, em Copacabana (Zona Sul/RJ);

Operação Furacão VIII  (6 de outubro): no Morro dos Macacos, em Vila Isabel (Zona Norte/RJ);

Operação Furacão IX   (10 e 11 de outubro): na Rocinha (Zona Sul/RJ);

Operação Furacão X (27 de outubro): nas Comunidades do Querosene, Zinco, São Carlos e Mineira (Centro/RJ).

Operação Furacão XI (7 de novembro): no Complexo do Salgueiro e Comunidade Anaia, em São Gonçalo (Região Metropolitana/RJ).

Operação Furacão XII (30 de novembro e 1º de dezembro): nas Comunidades de Vila Joaniza, Barbante e Tubiacanga (Zona Norte/RJ);

Operação Furacão XIII (6 de dezembro): nas comunidades da Mangueira, Tuiuti e Arará/Mandela (Zona Norte/RJ).


Fonte:CML