Em Fortaleza, solenidade fecha missão no Haiti, após 13 anos de ações e quase 38 mil militares desdobrados.

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 23 out 2017

Fortaleza (CE) – A 10ª Região Militar (10ª RM) realizou, em 20 de outubro, uma formatura em comemoração ao encerramento da Missão das Nações Unidas para Estabilização no Haiti (MINUSTAH). Desde 2004, foram 13 anos de participação das Forças Armadas Brasileiras para a paz e a recuperação do país caribenho. Ao todo, estiveram envolvidos mais de 37.500 militares.

Os integrantes da 10ª RM e da guarnição de Fortaleza, da ativa e da reserva, que participaram dessa missão internacional estavam presentes, usando a boina azul, símbolo dos peacekeepers, os soldados da paz. Em seu discurso, o Comandante da 10ª RM, General de Divisão Estevam Cals Theophilo Gaspar de Oliveira, homenageou os militares brasileiros pela bravura e pela abnegação de representar o País na missão da Organização das Nações Unidas (ONU).

Ao longo desse tempo de atuação, as Forças Armadas brasileiras apoiaram a população haitiana em duas das grandes catástrofes naturais que atingiram o país: no dia 12 de janeiro de 2010, um terremoto causou a morte de mais de 200 mil pessoas; e, em 4 de outubro de 2016, o furacão Matthew causou inundações e deixou milhares desabrigados.

A MINUSTAH foi criada por Resolução do Conselho de Segurança da ONU, em fevereiro 2004, para restabelecer a segurança e a normalidade institucional do Haiti, após sucessivos episódios de turbulência política e violência, que culminaram com a partida do então Presidente, Jean Bertrand Aristide, para o exílio.

O Brasil sempre comandou o componente militar da MINUSTAH, que teve a participação de tropas de outros 15 países, além do efetivo brasileiro de capacetes azuis da Marinha, do Exército e da Força Aérea.

 



Fonte:10ª RM