Militares de 8 países trocam experiências e conhecimento em Curso Internacional de Operações na Selva.


Publicação: Sex, 20 Out 2017 09:40:00 -0200

Manaus (AM) – Iniciou-se, em 16 de outubro, no Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), o Curso Internacional de Operações na Selva (CIOS), que tem 11 militares de oito países matriculados. Para chegar à matrícula, antes ocorreu uma semana de atividades de preparação, exames médicos e testes físicos de seleção, que englobaram corrida de 8 km, subida na corda, flutuação com armamento na piscina e marcha de 15 km.

O início do curso foi marcado com uma formatura, na qual estiveram as seguintes autoridades: Chefe do Estado-Maior do Comando Militar da Amazônia (CMA), General de Brigada Edson Skora Rosty; Chefe do Centro de Coordenação de Operações do CMA, General de Brigada Algacir Antônio Polsin; Diretor do Programa Calha Norte, Brigadeiro Roberto de Medeiros Dantas; e o Gerente do Programa Amazônia Protegida, General de Brigada Gil Hermínio Rocha.

Na oportunidade, o Coronel Nilton de Figueiredo Lampert, Comandante do CIGS, falou da preparação e da importância do CIOS, que possibilita a troca de experiências entre os militares das nações amigas: “o CIGS se preparou muito para ministrar o CIOS todo no idioma inglês. Esse Curso, além de possibilitar a troca de experiências entre militares de vários países, confirma o reconhecimento internacional do CIGS como um dos melhores Centros do Mundo, na formação de Guerreiros de Selva”. O Coronel destacou, também, as dificuldades que os militares enfrentarão: “o Curso não será fácil, exigirá bastante determinação, sabedoria, força de vontade e, acima de tudo, muita superação. A floresta amazônica exigirá muito de cada um, causará desconfortos, principalmente devido à umidade, do calor e das chuvas constantes”. Os militares dos países do hemisfério Norte, como os da Suécia, Espanha, Estados Unidos e França, poderão sentir ainda mais as peculiaridades climáticas da Amazônia.

Na primeira semana, além da preparação, dos testes físicos de seleção e dos exames médicos, os militares realizaram uma interação doutrinária. Os alunos receberam, de instrutores e monitores do CIGS, uma situação problema militar real, em ambiente de selva, e tiveram que apresentar a solução para esse problema, conforme as doutrinas militares de seus países. Dessa forma, todos tiveram oportunidade de interagir e de compartilhar conhecimentos.

O Curso Internacional de Operações na Selva será realizado em seis semanas, sendo dividido em três fases: de vida na selva; de técnicas especiais; e de operações, na qual os militares colocam na prática os ensinamentos adquiridos nas fases anteriores.

Para o CIOS 2017, foram matriculados militares dos seguintes países: Bolívia, Espanha, Estados Unidos, França, Índia, Peru, Senegal e Suécia.

 


Fonte:CIGS