Poderosos fogos da Artilharia de Campanha de tubo do Exército são empregados em operação de adestramento.

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 18 out 2017

Lapa (PR) – No período de 1º a 6 de outubro de 2017, o 15º Grupo de Artilharia de Campanha de Autopropulsado (15º GAC AP) participou da Operação Setembrino de Carvalho, exercício de adestramento realizado pela Artilharia Divisionária da 5ª Divisão de Exército (AD/5) no Campo de Instrução Marechal Hermes (CIMH), em Três Barras (SC). A atividade permitiu ao Grupo General Sisson comprovar o desenvolvimento de competências e capacidades ao longo do ano de instrução.

Inserido em um contexto de manobra defensiva, com a execução de um movimento retrógrado e uma defesa móvel, o 15º GAC AP realizou, em um primeiro momento, o trabalho de Estado-Maior, com o planejamento do emprego do Grupo e a apresentação da decisão do Comandante.

Já na execução da atividade, o 15º GAC AP pôde mostrar sua força e poder de combate, apoiando pelo fogo a manobra da 5ª Divisão de Exército (5ª DE). Para isso, empregou a totalidade de suas viaturas blindadas M109 A3, que garantem ao Grupo o maior poder de fogo da Artilharia de Campanha de tubo do Exército Brasileiro.

Com suas duas Linhas de Fogo mobiliadas a seis peças, o Grupo realizou fogos fumígenos, autoexplosivos e iluminativos, cumprindo com eficácia, precisão e rapidez as diversas missões de tiro. A mobilidade conferida pelo material autopropulsado permitiu que as Baterias de Tiro ocupassem diversas posições de tiro, dentro e fora do CIMH. 

 

Novas capacidades

As atividades de levantamento topográfico contaram com a utilização do AGLS, equipamento moderno que permitiu a realização dos trabalhos com maior precisão e rapidez. O equipamento, inicialmente empregado na observação do tiro, vem sendo testado pelo Grupo também nos trabalhos de pontaria da linha de fogo e na topografia, com resultados satisfatórios.

Outro ponto que merece destaque foi a simulação, pelas linhas de fogo, dos trabalhos de pontaria em um ambiente sob ataque com agentes químicos. Contando com o apoio em material e orientação do 1° Batalhão de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear, os militares do 15º GAC AP puderam se adestrar e verificar as dificuldades da manutenção do apoio de fogo em tal circunstância.

Além disto, os motoristas de viaturas blindadas e os chefes de peça tiveram a oportunidade de adestrar-se quanto ao emprego dos óculos de visão noturna para a condução das Viaturas Blindadas de Combate Obuseiro Autopropulsado (VBC OAP) M109 A3, em período com total escuridão.

 

Logística e Prontidão Operativa

O 15º GAC AP buscou, ao longo do ano de instrução de 2017, adaptar-se às exigências da Era do Conhecimento, aprimorando sua prontidão e capacidade de pronta resposta. Para tal, além do preparo de seus recursos humanos, fez-se necessário um eficiente apoio logístico, o que permitiu ao Grupo conduzir todas as suas viaturas blindadas (12 M109 A3, 5 M113 e 1 M578) para o exercício, realizando o tiro de artilharia com a plenitude de seu armamento.

A manutenção das VBC OAP M109 A3 é um trabalho árduo e contínuo, realizado de maneira meticulosa pelas equipes de manutenção do GAC, sob o apoio e a coordenação do Escalão Superior (AD/5, 5ª Região Militar, 5ª DE, Diretoria de Material e Comando Logístico). A Operacionalidade Plena da organização militar é, portanto, resultado da conjugação de uma série de fatores, que vai desde espírito de corpo e a motivação de seus integrantes,  até o apoio irrestrito da Cadeia de Comando.