O QGEx todo em amarelo, para valorizar o bem mais precioso que o Exército possui: a vida de seus militares.

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 28 set 2017

Brasília (DF) – Quem passa pela frente do Quartel-General do Exército (QGEx) à noite tem percebido uma iluminação diferente, tanto na fachada do edifício que abriga o Comando da Força e outros órgãos de direção, quanto no Teatro Pedro Calmon e na Concha Acústica. A cor amarela está projetada nesses monumentos, em Brasília, em apoio à Campanha “Setembro Amarelo” e ao Programa de Valorização da Vida (PVV). O Exército também participou, no dia 10 de setembro, da Caminhada de Prevenção ao Suicídio.

A campanha foi trazida ao Brasil, em 2015, pelos Centro de Valorização da Vida, pelo Conselho Federal de Medicina e pela Associação Brasileira de Psiquiatria. O intuito é sensibilizar a população sobre a realidade do suicídio, assim como enfatizar que é possível prevenir essa causa de morte e promover a valorização da vida.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) encara as mortes por suicídio como uma questão de saúde pública e estima que ocorram, no Brasil, 12 mil suicídios por ano. No mundo, são mais de 800 mil ocorrências, isto é, uma morte por suicídio a cada 40 segundos, conforme o primeiro relatório mundial sobre o tema, divulgado pela OMS, em 2014.

No âmbito interno da Força Terrestre, o Departamento-Geral do Pessoal, por meio da Diretoria de Civis, Inativos, Pensionistas e Assistência Social, seu órgão técnico-normativo nos temas relacionados à Assistência Social, vem desenvolvendo, desde 2016, o Programa de Valorização da Vida (PVV).

O PVV tem como principais finalidades:

a) desenvolver estratégias e ações de promoção da qualidade de vida, de educação, de proteção, de prevenção, de recuperação e de redução de danos à saúde; e

b) desenvolver estratégias de sensibilização do público-alvo, no sentido de que o suicídio é um problema de saúde pública, que deve e pode ser prevenido.

 

Mais informações sobre o PVV podem ser obtidas na Portaria nº 893, de 25 JUL 16, do Cmt Ex, que aprova as Instruções Gerais do Programa (EB 10-IG-02.015); e na Portaria nº 151-DGP, de 04 AGO 16, que aprova as Instruções Reguladoras (EB 30-IR-50.017).



Fonte:DCIPAS