No Dia Nacional do Atleta Paralímpico, conheça “Peixinho”, que emocionou o público durante a MAREXAER.

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 22 set 2017
Crédito: ESA

Três Corações (MG) – O dia de hoje, 22 de setembro, é dedicado àqueles brasileiros que são legítimos exemplos de superação, em todos os aspectos da vida, incluindo a desportiva. Hoje é o Dia Nacional do Atleta Paralímpico, que é celebrado desde 2014, como uma extensão da data comemorativa ao Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, celebrada em 21 de setembro. Assim, o Exército não pôde deixar passar em branco essa data tão importante para o Brasil e traz um pouco da história de “Peixinho”, que, em 20 de setembro, durante o intervalo da modalidade de natação utilitária, uma das provas do pentatlo militar da XXII MAREXAER, apresentou ao público uma de suas melhores performance em uma piscina olímpica.

Essa é sua segunda participação nesses jogos desportivos que ocorrem anualmente entre alunos das escolas de formação de sargentos das Forças Armadas, demonstrando um belo exemplo de superação, motivação e vontade de viver. O jovem atleta, ainda em seus 14 anos de vida, deixou claro que também é um guerreiro, assim como os bravos militares das nossas Forças Armadas.

Marcus William das Graças Leite, o “Peixinho”, nasceu em 27 de julho de 2003, na cidade de Três Corações (MG), com uma deficiência física (ausência dos membros inferiores e de um membro superior). Como atleta, ele vem se destacando nas competições de natação realizadas no Sul de Minas Gerais e no Estado de São Paulo. Atualmente, possui 62 medalhas, sendo 11 de prata, 13 de bronze e 38 de ouro nas competições em que participou.

Para o Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), "a data deve ser celebrada uma vez que a prática esportiva é, não só uma técnica de reabilitação, mas um meio de inclusão dessas pessoas", e o Brasil se encontra em posição de destaque no cenário paraolímpico mundial. Esses bravos heróis vêm, assim como “Peixinho”, surpreendendo a cada competição, vencendo as barreiras físicas e emocionais impostas em sua vida.



Fonte:ESA e Agência Verde-Oliva