Programas Estratégicos do Exército na LAAD

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 05 abr 2017

Rio de Janeiro (RJ) – Em 2017, após um detalhado diagnóstico, o Exército Brasileiro apresenta na LAAD (Feira Internacional de Defesa e Segurança) o seu Portfólio Estratégico, composto por iniciativas prioritárias para modernizar as capacidades que a Força Terrestre já possui e adquirir outras. As ações, conhecidas como “Projetos Estratégicos”, agora integram "Programas" dentro do Portfólio, seguindo uma nova metodologia de gestão. Esse processo foi tema de palestra no dia 5 de abril, no V Seminário de Defesa da LAAD.

Segundo o Coronel Edson Ribeiro dos Santos Júnior, Chefe da Seção de Gestão da Metodologia do Escritório de Projetos do Exército (EPEx), o evento é uma oportunidade para que outras instituições e empresas que trabalham com o Exército na execução dessas iniciativas entendam como é feita atualmente a gestão dos programas integrantes do Portfólio.  

Como parte desse processo, o Exército aprovou as Normas para Elaboração e Gestão do Portfólio Estratégico do Exército. “Pela nova reformulação, passamos a ter 18 Programas em nossa Instituição e um Projeto Estratégico. Isso foi resultado de um diagnóstico, segundo o qual todas as iniciativas estratégicas foram submetidas a um mapeamento, que resultou nessa nova classificação”, explica o Coronel Edson, enfatizando que não se trata apenas de uma mudança semântica, mas de um aperfeiçoamento de gestão.

“Um projeto é muito focado em custo, escopo, tempo e qualidade. Ele tem pouca margem para risco, para mudança. Já num programa, admite-se que se tenha um horizonte temporal maior, que possua vários projetos integrados que resultam em produtos diferentes. E o portfólio observa o alinhamento dos programas com os objetivos estratégicos da Força”, aprofunda.

O Portfólio Estratégico do Exército é dividido em três subportfólios: Defesa da Sociedade, Geração de Força e Dimensão Humana. No segmento “Defesa da Sociedade”, estão programas como o Astros 2020, a Defesa Cibernética, o Guarani, o SISFRON e a Defesa Antiaérea.