Parceria inédita entre o Exército Brasileiro e o CENSIPAM aumenta a segurança das comunicações militares

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 24 set 2020

Manaus (AM) – Uma ação inédita entre o Exército Brasileiro e o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM) utilizou o Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas (SGDC) durante a Operação Amazônia 2020. Três equipamentos satelitais foram empregados na operação e chegaram por meio da empresa Telebras. Esses equipamentos proporcionaram um link com capacidade de transmissão com o SGDC, disponibilizando o acesso à internet em qualquer ponto do Brasil.

O SGDC é o satélite brasileiro projetado para fornecer mais segurança às comunicações estratégicas do governo e às comunicações militares, pois o controle realiza-se no Brasil em estações localizadas em áreas militares, sob a coordenação da Telebras e do Ministério da Defesa. O satélite apoiou a Operação Amazônia 2020 na região de Manacapuru (AM), distante 103 quilômetros de Manaus.

Em plenitude, o SGDC opera na banda militar com o Sistema de Comunicações Militares por Satélite (SISCOMIS) e, na banda civil, com a antena da Telebras. Esse meio de comunicação foi empregado no terreno, possibilitando as comunicações por dados em todos os eventos da Operação Amazônia 2020.

Os equipamentos, que pesam em média 67 quilos, são transportados em maletas que auxiliam o translado por qualquer meio: aéreo, terrestre ou aquaviário, além de proporcionar economia de energia. As três maletas estão sob o controle do CENSIPAM, tendo sido transladados de Brasília (DF) com um operador cuja missão foi adestrar os militares do 1º Batalhão de Comunicações de Selva (1º B Com Sl) no seu emprego operacional. As características técnicas das maletas proporcionam ao comandante a execução plena do comando em todo o teatro de operações e o controle das operações em curso de forma rápida, eficiente e eficaz.

Fonte: 1º B Com Sl