Tiro das armas coletivas da 17ª Brigada de Infantaria de Selva na Operação Amazônia

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 22 set 2020

Humaitá (AM) – No dia 15 de setembro, a 17ª Brigada de Infantaria de Selva (17ª Bda Inf Sl) realizou o tiro das armas coletivas no campo de instrução do 54º Batalhão de Infantaria de Selva (54º BIS). A atividade fez parte de uma demonstração de força no contexto da Operação Amazônia, exercício em campanha com tropa no terreno que simula uma ação de guerra convencional em amplo espectro no ambiente operacional de selva. Prestigiaram o evento autoridades civis e militares do município.

O tiro das armas coletivas é uma atividade operacional que tem como finalidade consolidar o adestramento dos militares que constituem as peças de armamentos coletivos das diversas organizações militares do Exército Brasileiro. As atividades de tiro desenvolvidas atendem aos Módulos de Tiro previstos nas Instruções Reguladoras de Tiro com o Armamento do Exército (IRTAEx).

Durante o exercício, guarnições de militares dos Batalhões da Brigada (4º, 6º, 54º e 61º BIS) executaram o tiro real dos seguintes armamentos: metralhadoras 7,62mm MAG; metralhadora .50 M2; e morteiro leve 60mm. Também foi efetuado disparo com o obuseiro leve 105 mm L118 auto-rebocado (AR) por militares do 18º Grupo de Artilharia de Campanha, sediado em Rondonópolis (MT). Após o emprego dos armamentos, foi procedida a detonação de uma carga com alto poder explosivo pelo 5º Batalhão de Engenharia de Construção (5º BEC).

Por fim, foi desencadeado um apoio aéreo aproximado com aeronaves A-29 Super Tucano da Força Aérea Brasileira, um turbo-hélice que possui sistemas modernos e capacidade de carregar até 1.500kg de armamento, incluindo bombas, mísseis, foguetes e metralhadoras. Os A-29 são operados do Esquadrão GRIFO, sediado em Porto Velho (RO).

Fonte: 17ª Bda Inf Sl