Alunos do Centro de Instrução de Guerra na Selva acompanham demonstração do poder de fogo da Artilharia na Operação Amazônia

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 16 set 2020
Crédito: CIGS

Manaus (AM) – No dia 15 de setembro, a 2 km da Base de Instrução Nº 1 - Marechal Rondon, do Centro de Instrução de Guerra na Selva (CIGS), foram empregados contingentes e recursos de diversas regiões brasileiras na Operação Amazônia, grande manobra miltar do Exército Brasileiro (EB), coordenada pelo Comando Militar da Amazônia (CMA), simulando uma ameaça externa no ambiente operacional amazônico. Destaque para o sistema de lançadores múltiplos de foguetes ASTROS 2020, além do tiro real de míssil Igla-S e míssil RBS 70. Tudo isso foi vivenciado pelos alunos dos Cursos de Operações na Selva (COS), que puderam verificar o poder de fogo das capacidades do 6º Grupo de Mísseis e Foguetes (6º GMF) e 12º Grupo de Artilharia Antiaérea (12º GAAAe) em apoio a uma Força Terrestre Componente.

Os alunos atuaram em uma situação tática que envolveu as operações básicas de ofensiva e defensiva em ambientes conjuntos: infiltração noturna através da selva, ataque coordenado, marcha para o combate fluvial, ataque a localidade típica da Amazônia e desembarque ribeirinho. Na ocasião, o Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, e o Comandante do Exército, General de Exército Edson Leal Pujol, acompanharam a atividade e dirigiram-se aos COS categorias "B" e "C", turnos 20/3 e 20/4. Na oportunidade, o Comandante do CIGS, Coronel Mário Flávio de Albuquerque Brayner, realizou uma síntese do atual momento das atividades de operações logísticas ao efetivo de alunos.

Fonte: CIGS