Exército presta homenagens de despedidas ao Sr. Alceu Alves Macedo, último herói brasileiro da 2ª Guerra Mundial nascido em Alegrete (RS)

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 22 jul 2020

Alegrete (RS) – Na manhã de 19 de julho, o 12º Batalhão de Engenharia de Combate Blindado (12º BE Cmb Bld), “Batalhão Marechal Enéas Galvão” realizou, sob coordenação da 2ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, a cerimônia de sepultamento do Senhor Alceu Alves Macedo, Ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira (FEB). Herói brasileiro da Guerra Mundial, o alegretense de 98 anos estava internado no Hospital da Guarnição de Alegrete (HGuA).

O Brasil enviou ao continente europeu a Força Expedicionária Brasileira (FEB) para integrar as tropas dos países aliados no combate ao Eixo (Alemanha, Itália e Japão), na campanha da 2ª Guerra Mundial. Entre os bravos brasileiros que integraram a FEB, encontrava-se o Sr. Alceu. Nosso pracinha foi homenageado por diversas vezes no 12º BE Cmb Bld. Em 2019, militares do batalhão realizaram uma corrida até a sua casa, no bairro Capão do Angico. Nos desfiles da Semana da Pátria, no município de Alegrete, sempre foi enaltecida sua bravura e dos demais militares brasileiros em solo italiano.

Parte da história do Sr. Alceu foi contada nas páginas do Jornal Alegrete Tudo, como se segue: "O pracinha foi casado por 74 anos com Maurilia da Silva Macedo. Ela faleceu no dia 1º de janeiro deste ano de 2020. O casal teve 3 filhas, 2 netas, 2 netos, um bisneto e uma bisneta. Ele combateu no ano de 1944, na Itália. Era alegretense, cidade que sempre amou e teve o maior respeito. No ano passado, durante as comemorações dos 64 anos de criação do 12º Batalhão de Engenharia de Combate Blindado, foram realizadas várias programações alusivas. Entre elas, uma solenidade presidida pelo Comandante do 6º Regimento de Cavalaria Blindado, que homenageou Alceu Alves Macedo.
Durante a guerra, no front, com orgulho, o Soldado Alceu, como era chamado, sempre se destacou por sua perseverança. No dia 2 de julho de 1944, saiu do Rio de Janeiro de navio para uma viagem de 15 dias até Nápoles. De lá, cruzaram o território italiano de norte a sul e quando a guerra acabou, já estavam na divisa da Alemanha." falou o alegretense ao radialista e professor Alair Almeida, em uma entrevista há alguns anos.


História

Alceu serviu no 6° Regimento de Cavalaria Independente, durante 2 anos. Após ter dado baixa, foi convocado para a missão na Europa. Disse que quando embarcou para a missão, não tinha muito claro que ele iria para a guerra, mas ele sabia perfeitamente para onde estava indo.

Na guerra, o pracinha foi ferido, ficou hospitalizado, mas curou-se e tornou-se protagonista em operações de guerra. Ele ainda relatou que viu colegas serem mortos pela artilharia inimiga, quando uma granada atingiu sua trincheira. O quase centenário alegretense comentou durante entrevista ao radialista que nunca teve medo, mas que não tinha como não perceber o temor da todos quando os aviões da Alemanha atacavam. Ele também citou que a comunicação era realizada por meio de cartas.

No ano de 1945, já em solo alegretense, em cerimônia homenageando um Ex-combatente que morreu durante a guerra, a convite do Prefeito Pedro de Oliveira Palma, descerrou uma placa em homenagem a um herói para eles. A rua ficou com o nome de Expedicionário Cannes. Ao voltar da Itália, o Ex-combatente trouxe uma medalha de honra e uma promoção de Soldado para Sargento.

O 12º BE Cmb Bld realizou a última homenagem ao pracinha durante o sepultamento. O Exército Brasileiro agradece sua inestimável dedicação ao País, externando condolências à família.  

Fonte: 12º BE Cmb Bld