Operação Verde Brasil 2 completa 30 dias no combate aos delitos ambientais na Amazônia Oriental

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 12 jun 2020
Crédito: C Cj MSA

Belém (PA) – A Operação Verde Brasil 2, deflagrada pelo Governo Federal, completou 30 dias de ativação em 11 de junho. Há um mês, os militares da Marinha, do Exército e da Aeronáutica por meio do Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea (C Cj MSA) previnem e reprimem os crimes ambientais nos estados do Pará e no Maranhão, junto com os demais órgãos estaduais e federais, como Polícia Federal, Polícia Rodoviária Federal, ICMBio, IBAMA, SEMAS, Agência Nacional de Mineração, FUNAI, Força Nacional de Segurança, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros, ABIN e Censipam.

Na manhã do dia 10 de junho, o Estado-Maior do Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea reuniu-se com as agências e secretarias envolvidas, no intuito de apresentar resultados das ações operacionais, logísticas e de apreensões que foram coordenadas pelo Centro de Operações do Comando Conjunto e planejadas com base nos relatórios consolidados pela Agência Brasileira de Inteligência (ABIN) e por meio de imagens geradas pelo Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CENSIPAM), que indicam atividades ilegais em áreas protegidas por lei federal.

“A Polícia Federal está atuando plenamente integrada com as Forças Armadas e outros órgãos, na missão constitucional de combater os ilícitos ambientais, coibindo a atuação ilegal de exploração mineral. Esse é o grande legado da Operação Verde Brasil 2. Atuando de maneira articulada e integrada no combate aos crimes na Amazônia”, destaca o Superintendente da Polícia Federal, Delegado Wellington.

 

RESULTADOS

 

Em um mês de operação interagências, o C Cj MSA, atuando como catalisador da união de esforços para o fortalecimento do poder nacional, no intuito de combater os ilícitos ambientais, apresentou os seguintes resultados: 167.334 m³ de madeira apreendida, R$ 951 mil reais de multas aplicadas por irregularidades diversas, 300 litros de combustível que seriam usados em possíveis queimadas, quatro pessoas detidas, 57 materiais recolhidos para serem utilizados em ações criminosas ao meio ambiente. Ainda, a Marinha do Brasil realizou inspeções navais para coibir traslados ilegais de madeira e a Força Aérea Brasileira deslocou aeronaves em sobrevoos nas áreas de foco de queimadas e transportou as tropas do C Cj MSA até as regiões de difícil acesso, no estado do Pará e Maranhão.

Foram mais de 1500 militares empregados para apoiar os órgãos de fiscalização e controle nas regiões de Altamira, São Félix do Xingu, Novo Progresso, Itapecuru Mirim, Terra Indígena Jucurú, Reserva Biológica do Maicuri, em Tucurí, Marabá, Itaituba e outros municípios.

Para o Comandante do Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea, a “primeira fase da Operação Verde Brasil 2 caracterizou-se pela ação conjunta,  integrada,  aplicando competências, atribuições legais e recursos humanos no combate aos delitos ambienteis. O fruto dessa ação integrada são as ações continuadas em diversos pontos do Pará. Os órgãos estaduais e federais nos ajudaram com dados e informações precisas de delitos na área do Comando Militar do Norte, que abrange quatro estados. Contribuímos com os esforços do Estado Brasileiro, na realização das medidas preventivas e repressivas, e, principalmente, na redução dos crimes ambientais que trazem prejuízos à qualidade de vida da população”. O resultado de um mês de Operação fecha com ações positivas e considerável redução de delitos na região da Amazônia Oriental.

 

Porrogação da operação

A Operação Verde Brasil 2 é coordenada pela Vice-Presidência da República, em apoio aos órgãos de controle ambiental e de segurança pública. A missão deflagrada pelo Governo Federal, em 11 de maio de 2020, visa ações preventivas e repressivas contra delitos ambientais na Amazônia Legal.

A determinação presidencial para emprego das Forças Armadas em Garantia da Lei e da Ordem (GLO) foi prorrogada por mais 30 dias, conforme publicação no Diário Oficial da União por meio do Decreto n° 10.394, de 10 de junho de 2020, com atuação até 10 de julho de 2020.

Para cumprir a determinação presidencial, o Ministério da Defesa ativou três Comandos Conjuntos. São eles: Comando Conjunto Príncipe da Beira (CCj PB), em Porto Velho (RO); Comando Conjunto Barão de Melgaço (CCj BM), em Cuiabá (MT); e Comando Conjunto Marechal Soares de Andrea (CCj MSA), em Belém (PA).

Fonte: 8ª RM