Departamento comemora 15 anos de criação em 1º de junho

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 01 jun 2020

Brasília (DF) – O Departamento de Ciência e Tecnologia (DCT) completa 15 anos de criação nesse dia 1º de junho. O DCT foi criado em 2005, pela fusão das Secretarias de Tecnologia da Informação e de Ciência e Tecnologia. Tal decisão foi uma decorrência da necessidade de reorganização e de integração das atividades de Ciência, Tecnologia e Inovação ante as crescentes demandas da Força Terrestre por novos sistemas, materiais e serviços de Defesa de alto valor tecnológico agregado.

A estrutura organizacional do DCT vem sendo aprimorada ao longo desses 15 anos, acompanhando o processo de transformação do Exército. Atualmente, é constituído, além de uma Chefia e de uma Vice-Chefia, por quatro órgãos diretamente subordinados: a Chefia de Ensino, Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação (Ch EPDI); a Chefia de Tecnologia da Informação e Comunicações (Ch TIC); o Comando de Defesa Cibernética (Com D Ciber); e a Diretoria de Sistemas e Material de Emprego Militar (DSMEM).

A Chefia de EPDI, sediada no Rio de Janeiro (RJ), tem como organizações militares (OM) subordinadas o Instituto Militar de Engenharia (IME), o Centro Tecnológico do Exército (CTEx), a Diretoria de Fabricação (DF), o Centro de Avaliações do Exército (CAEx) e a Agência de Gestão da Inovação Tecnológica do Exército (AGITEC).

A Chefia de TIC, sediada em Brasília, enquadra o Centro de Desenvolvimento de Sistemas (CDS), o Centro Integrado de Telemática do Exército (CITEx), a Diretoria de Serviço Geográfico (DSG) e o Comando de Comunicações e Guerra Eletrônica do Exército (Cmdo C GE Ex).

O Com D Ciber (que abriga o Centro de Defesa Cibernética e a Escola Nacional de Defesa Cibernética) e a DSMEM também estão sediados em Brasília.

Além de dirigir toda essa estrutura, o Chefe do Departamento também coordena o Sistema Indústria, Defesa e Academia de Inovação (SisDIA de Inovação) do Comando do Exército e preside o Conselho de Administração da Indústria de Material Bélico (IMBEL), empresa pública vinculada ao Ministério da Defesa e ao Exército por intermédio do DCT.

Como responsável pelo principal vetor de indução da transformação do Exército, o DCT impulsiona o desenvolvimento de sistemas e materiais de emprego militar de alta tecnologia, estabelece a defesa cibernética, produz softwares corporativos, estabelece e mantém as comunicações estratégicas e táticas, além de ser o principal produtor de geoinformação sobre o território nacional. Esses cometimentos têm viabilizado o atendimento das necessidades operacionais da Força, impactando diretamente as áreas de doutrina, de pessoal e de logística.

Destaca-se a participação direta do DCT nos seguintes projetos e programas especiais do Exército:

- Família de radares SABER-M60, SENTIR-M20, VIGILANTE-M200 e MULTIMISSÕES – M200;

- Rádio Definido por Software;

- Viatura Blindada Guarani;

- Radiografia da Amazônia;

- Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteiras – SISFRON;

- Mapeamento dos estados da Bahia e do Rio Grande do Sul;

- Programa Amazônia Conectada;

- Programa Astros 2020; e

- Data Center “Ricardo Franco”.

Estas e outras ações, além de impactar a operacionalidade da Força Terrestre, impulsionam a Base Industrial de Defesa, contribuindo para a modernização e para o crescimento do País.

No momento em que comemora 15 anos de existência, o DCT se consolida como um dos pilares de transformação e de evolução da nossa Força, conduzindo de forma diligente a ciência, a tecnologia e a inovação no âmbito do Exército Brasileiro.

Fonte: DCT