Quartel de Engenharia prepara-se para receber o nível máximo de adequação ambiental dentro do Exército

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 28 abr 2020

Natal (RN) – O 7º Batalhão de Engenharia de Combate (7º BE Cmb), sediado em Natal, organização militar diretamente subordinada ao 1º Grupamento de Engenharia (1º Gpt E), está próximo de receber o Selo Verde-Oliva de Sustentabilidade (nível III de certificação ambiental), que é uma premiação interna do Exército. Esse selo é obtido por meio da Diretoria de Patrimônio Imobiliário e Meio Ambiente (DPIMA), órgão interno habilitado para emitir tal certificação.

O processo de conformidade ambiental no Exército é faseado em três níveis (I, II e III). Cada nível é atingido após a validação de um check-list, que contém uma série de condicionantes ambientais a serem cumpridas pela organização militar (OM) que almeja o citado selo sustentável. Essa lista de verificação busca otimizar os processos de gestão ambiental nos quartéis e, consequentemente, resguardar o Exército contra possíveis autuações ou multas. Entre os itens avaliados estão a educação ambiental, a gestão de resíduos, a forma de abastecimento de água, o uso e a ocupação do solo, as medidas de emergência, o combate a perdas e desperdícios, o controle de vetores e outros aspectos atinentes à gestão ambiental sustentável.

O processo de busca pelo Selo Verde-Oliva, no 7º BE Cmb, foi iniciado em 2019, pelo Tenente Tiago Andrade Batista de Lucena, biólogo formado na Universidade Potiguar (UnP) e pós-graduado em Licenciamento e Certificação Ambiental e Gestão Ambiental Urbana pela mesma UnP e pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), respectivamente. Naquele ano, o Tenente Lucena participou do Estágio de Conformador Ambiental do Sistema de Gestão Ambiental do Exército (SIGAEB), aplicado pela DPIMA, em setembro de 2019, na capital pernambucana. Esse estágio serviu para capacitar os conformadores ambientais dos próprios quartéis, responsáveis pela conformação nível I. Além disso, esse estágio serviu, ainda, para compartilhar conhecimentos e padronizar procedimentos de certificação ambiental, segundo os padrões definidos pela Força Terrestre.

Após a capacitação, as OM iniciaram as adequações para atingir o nível I da certificação do SIGAEB, inicialmente, por meio da sensibilização dos gestores internos. Em seguida, realizaram a divisão de responsabilidades e a transformação da cultura interna, alinhando-a às exigências ambientais.

No 7º BE Cmb, as primeiras readequações ocorreram no posto de abastecimento, lubrificação e lavagem da OM, que recebeu canaletas de escorrimento e caixa separadora de água e óleo. Além disso, foram instalados hidrômetros nos poços tubulares preexistentes, com a finalidade de medir o consumo de água. Também foi feita a colocação de kits de emergência ambiental nos locais de manejo de produtos perigosos e a implantação de um sistema de captação de água da chuva. Ainda foram automatizados os sistemas de cloração da água dos poços artesianos que abastecem a OM, ocasião em que se constatou uma boa potabilidade dessa água, viabilizando-a para o consumo humano. Essa verificação da água foi feita pela Vigilância Sanitária do município de Natal (RN), que realizou uma análise físico-química e microbiológica.

A Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) do 7º BE Cmb, instalada em 2010, também passou por melhorias. As ações de manutenção foram padronizadas periodicamente e foram instalados sopradores mecânicos nos tanques de efluentes, a fim de otimizar o tratamento biológico do esgoto, aumentando a aeração que alimenta as bactérias encarregadas de, naturalmente, fazer o processo de tratamento. Essa ação culminou na comprovação de que o efluente tratado na unidade estava dentro dos padrões aceitáveis, após análise feita por um laboratório especializado da UFRN. Dessa maneira, o efluente tratado passou a ser utilizado na irrigação de árvores frutíferas e nativas na área do quartel (coqueiro, limoeiro, sirigueleiro, laranjeira etc).

No mês de janeiro de 2020, o Batalhão foi inspecionado pela Seção de Meio Ambiente do Comando do 1º Gpt E, escalão responsável pelas questões ambientais na região Nordeste, e conseguiu obter a certificação no nível II. Nessa ocasião, os engenheiros ambientais do Grupamento auditaram as instalações e conferiram o check-list dos itens exigidos para a conformidade ambiental daquele nível. Do total de itens verificados, o 7° BE Cmb alcançou 95,5% de conformidade, o que lhe proporcionou obter tal nível de certificação.

Além dessas readequações, também foram realizadas outras ações complementares: a construção de um novo local para os resíduos do serviço de saúde, a aquisição de equipamentos para a medição e o controle da fumaça veicular e a elaboração de um plano de atendimento a emergências para o transporte de combustível da unidade.

Apesar das dificuldades encontradas nessa mudança organizacional, o 7º BE Cmb vem consolidando, com sucesso, o trabalho da gestão ambiental da OM. Fatores como o envolvimento do comandante e dos agentes da administração diretamente envolvidos fizeram com que fossem alcançadas as conformidades e reforçaram, inclusive, o bom relacionamento com os órgãos ambientais locais. O Batalhão aguarda agora a última instância de certificação, que será feita pela DPIMA. Ato este que poderá consolidá-lo como a primeira organização militar de tropa operacional a receber o Selo Verde-Oliva de Sustentabilidade.

 

Fonte: 1º Grupamento de Engenharia