CAEx e Cruz Vermelha capacitam militares em Curso de Formação de Socorrista - Resgate em Áreas de Restinga

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 10 dez 2019

Rio de Janeiro (RJ) – O Centro de Avaliações do Exército (CAEx), “Campo de Provas da Marambaia”, realizou, no período de 25 a 29 de novembro, o Curso de Formação de Socorrista - Resgate em Áreas de Restinga, em convênio com a Cruz Vermelha Brasileira. As atividades no aquartelamento contaram com a participação de oito instrutores da Cruz Vermelha Brasileira de Resende (RJ) e de 43 alunos - três oficiais, três sargentos, dois cabos e 35 soldados: 38 militares do CAEx, dois do Hospital Geral do Rio de Janeiro (HGeRJ), dois do 1º Batalhão de Engenharia de Combate (1º BE Cmb) e um do 26º Batalhão de Infantaria Paraquedista (26º BI Pqdt).

Todo o trabalho desenvolvido no campo de provas exige competências específicas relacionadas à preservação da vida e da integridade física do pessoal envolvido, ao lidar com avaliação de material de emprego militar e de produtos controlados, através de planejamento e execução rigorosos. A atividade demanda profissionais em condições de resgate e de pronto-atendimento pré-hospitalar, cujas ações priorizam as urgências e emergências, sempre com acompanhamento médico da Seção de Saúde do CAEx.

A finalidade do curso foi avançar na capacitação dos militares que lidam, diariamente, com situações que exigem socorro imediato, particularmente em área de restinga, para incrementar a segurança na avaliação de Material de Emprego Militar, na avaliação técnica de Produtos Controlados pelo Exército, nos exames de valor balístico de munição e na colaboração técnica que envolva material de interesse do Exército.

O treinamento proporcionado pela Cruz Vermelha, uma das instituições mais respeitadas na área de resgate e salvamento, abordou o alfabeto fonético e códigos, técnicas de gerenciamento de catástrofes, suporte básico de vida, transporte de feridos, nível de consciência, técnicas de atendimento pré-hospitalar e suporte ao trauma, aferição de distâncias e emprego de bússola e comunicação para o salvamento.

Ao longo das 70 horas de instrução, foram ensinadas, também, técnicas de combate a incêndio no mato e emprego de mangueiras e de equipamentos de combate ao fogo, inclusive em casa de fumaça e em ambiente confinado. Os alunos aprenderam técnicas de transporte de vítimas, com e sem equipamentos, manobras de atendimento pré-hospitalar, reconhecimento de sinais vitais, evacuação de vítimas, resgate de afogados, técnicas de atendimento a atropelados, técnicas de rappel e realizaram marcha de 2 quilômetros com equipamento de resgate e salvamento.

O coroamento do curso, que teve caráter totalmente prático e voltado para as atividades diárias dos militares participantes, foi em 29 de novembro. Ao longo da semana, houve diversas oficinas na área de manguezal e na área de praia, diurnas e noturnas, inclusive com aplicação de testes dos conhecimentos adquiridos.



Fonte:CAEx