Grupo comemora o seu 111º aniversário e a concessão de sua denominação histórica.

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 06 dez 2019
Crédito: Sd Jaconias

Rondonópolis (MT) – O 18° Grupo de Artilharia de Campanha (18º GAC) realizou, em 29 de novembro, as comemorações do seu 111º aniversário e da concessão de sua designação histórica: "Grupo General Melo Bravo". A denominação presta homenagem a João de Oliveira Melo (1836-1899), artilheiro que protagonizou atos de heroísmo durante a Guerra da Tríplice Aliança (1864-1870) e finalizou a carreira no posto de General de Divisão. A homenagem foi autorizada por intermédio da Portaria nº 1.738, do Comandante do Exército, de 29 de outubro de 2019, publicada no Boletim do Exército nº 45, de 8 de novembro de 2019.

A cerimônia iniciou com a inauguração da placa em homenagem a Melo Bravo. Na sequência, ocorreu a solenidade militar, quando foram entregues Diplomas de "Amigo do 18º GAC" e de “Integrante Perpétuo”, concedidos àquelas personalidades e instituições que contribuíram para o sucesso das atividades da organização militar, feita a leitura do resumo histórico alusivo ao General Mello Bravo, entoada a canção do 18º GAC e executado um tiro de salva com obuseiros 105 mm M101 A1.

Conhecido na história como “Mello, o Bravo”, o General Melo Bravo nasceu em Maceió, estado de Alagoas, em 1836. Entrou para as fileiras do Exército em 1851. Inicialmente, foi infante, mas depois decidiu estudar Artilharia. Em 1861, já como 2º Tenente foi transferido para o Corpo de Artilharia de Mato Grosso.

No ataque ao Forte de Coimbra, o então Tenente Melo Bravo insuflou a coragem e a garra dos defensores. No evento histórico da Retirada de Corumbá, ele deixou de seguir com os navios para Cuiabá e dedicou-se a realizar uma longa travessia, a pé, entre Corumbá e Cuiabá, levando consigo militares e civis, numa caminhada épica que levou meses para ser concluída e ficou conhecida como "Coluna Melo". Segundo a narrativa de Rondon, na obra "Corumbá – Sua retomada do poder do inimigo", publicada em 1934, a iniciativa do Tenente João de Oliveira Melo pôs a salvo grande parte dos fugitivos.

Fonte: 18º GAC


Crédito: Sd Jaconias