Dia do Quadro Auxiliar de Oficiais - 24 de novembro

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 21 nov 2019

O Quadro Auxiliar de Oficiais (QAO) foi criado pelo Decreto Presidencial n° 84.333, de 20 de dezembro de 1979. Tal medida possibilitou às praças que servem nas fileiras do Exército Brasileiro a ascensão ao oficialato. O acesso ao QAO só ocorre por merecimento, valorizando, assim, subtenentes e sargentos que, ao longo da carreira, destacaramse no exercício de suas funções e se dedicaram integralmente à Força Terrestre. 

O Patrono do Quadro Auxiliar de Oficiais é o Tenente Antônio João Ribeiro, nascido em 24 de novembro de 1823, na Vila de Poconé, na então Província de Mato Grosso. O Tenente Antônio João iniciou sua notável carreira militar como soldado no Batalhão de Caçadores nº 12, em 1841, onde atingiu as graduações de cabo e sargento. Como resultado de seu destacado desempenho profissional, foi promovido a alferes em 1852 e, a Primeiro-Tenente em 1860. 

Quatro anos mais tarde, o Tenente Antônio João, comandante da Colônia Militar de Dourados, foi protagonista de um dos mais heroicos e honrosos capítulos da história do Exército Brasileiro. Em dezembro de 1864, durante a Guerra da Tríplice Aliança, foi informado de que tropas inimigas se aproximavam de sua Colônia Militar com efetivos superiores aos da guarnição que comandava. Assim, zeloso em manter a integridade física dos habitantes locais, ordenou que a área fosse evacuada e que os habitantes fossem levados para um lugar seguro. Após a realização dessa evacuação, informou a seus superiores a situação e sua decisão de permanecer no local à espera do inimigo. 

Ao iniciar a batalha na Colônia Militar de Dourados, enfrentou o combate em franca desvantagem. Não se intimidou frente a um inimigo muito mais numeroso e mais bem equipado e liderou patriotas destemidos, entre eles quatro civis e uma mulher. Devido ao grande poder bélico do adversário, que atacou sua posição com mais de 200 bocas de fogo, a Guarnição de Dourados tombou, e o seu comandante pereceu. Todavia, antes do fim da batalha, enviou um mensageiro para o Distrito Militar de Miranda, informando que havia recusado a ordem de rendição imposta pelos invasores.

Cabe salientar que tal mensageiro não chegou ao seu destino, visto que foi capturado. Com ele foi encontrado um bilhete que expressava exatamente o comprometimento do militar para com seu País: “Sei que morro, mas o meu sangue e o de meus companheiros servirão de protesto solene contra a invasão do solo de minha Pátria”. Com essa frase, Antônio João tornou-se para sempre célebre nas fileiras do Exército Brasileiro.

Antônio João honrou o Corpo de Oficiais do Exército Imperial e, devido à demonstração de bravura, grandeza moral e desprendimento, foi escolhido pela Instituição, por meio do Decreto nº 85.091, de 24 de agosto de 1980, como o Patrono do Quadro Auxiliar de Oficiais. 

Atualmente, os oficiais do QAO atuam nas áreas de Administração Geral, Material Bélico, Música, Topografia e Saúde, podendo chegar até o posto de capitão. Devido aos seus conhecimentos e à sua experiência, desempenham funções de chefia, de assessoramento e de confiança nas organizações militares.

A serenidade profissional, o profundo respeito aos valores da Instituição e as qualidades pessoais evidenciadas ao longo do tempo de serviço, somadas às mais diversas atividades desempenhadas, garantem ao oficial QAO o cumprimento pleno e eficiente de suas atribuições.

Oficiais do QAO, exemplos de dedicação e de comprometimento com o Exército Brasileiro!

Fonte: Centro de Comunicação Social do Exército