Psicóloga do Hospital Militar de Área de Brasília alerta sobre a importância da Prevenção ao Suicídio

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 08 out 2019

Brasília (DF) – O Setembro Amarelo é uma campanha mundial de conscientização sobre a prevenção ao suicídio, que começou no Estados Unidos. No Brasil foi iniciada em 2015 pelo Centro de Valorização de Vida (CVV), do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP).

Para falar sobre o tema, o Hospital Militar de Área de Brasília (HMAB), convidou a 1º Tenente Patrícia Maretti, Psicóloga do HMAB, para ministrar uma palestra sobre Prevenção ao Suicídio para o Time HMAB.

A Tenente Patrícia Maretti tem se especializado no tema desde 2014. Participou da implementação do Programa de Valorização da Vida (PVV) no Exército Brasileiro, no período que esteve na DCIPAS / DGP e, em setembro, ministrou diversas palestras sobre o assunto em instituições civis e militares, inclusive foi uma das palestrantes do "Setembro Amarelo para a Valorização da Vida", promovido pelo Projeto Rompendo Mais Fronteiras, ao lado de Damares Alves, Ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, e do General de Exército Eduardo Dias da Costa Villas Bôas, Antigo Comandante do Exército.

É de suma importância tratarmos o assunto, uma vez que nove em cada dez mortes por suicídio podem ser evitadas, segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), que indica que a prevenção é fundamental para reverter essa situação.

Segundo a Tenente Patrícia Maretti, “É preciso perder o medo de se falar sobre o assunto. Compartilhar informações e estimular o diálogo pode salvar uma vida”. 

Atualmente, 46 brasileiros suicidam-se por dia. No mundo, ocorre uma morte a cada 40 segundos. Aproximadamente um milhão de pessoas se matam a cada ano. Sabe-se que os números são muito maiores, pois a subnotificação é reconhecida. Além disso, os especialistas estimam que o total de tentativas supere o de suicídios em pelo menos dez vezes. 

O suicídio é um ato de comunicação. Quem se mata, na realidade tenta se livrar da dor, do sofrimento, que de tão imenso, que se torna insuportável, porém lembrando que todos os nossos problemas são suportáveis e muitas vezes, mesmo parecendo não ter uma saída, mas sempre tem uma saída.

 

Fonte: HMAB