Ministra de Estado percorre instalações da Força-Tarefa Logística Humanitária em Roraima, a fim de conhecer os trabalhos realizados na Operação Acolhida

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 24 set 2019

Pacaraima (RR) – A Ministra de Estado da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, visitou, no dia 18 de setembro, as instalações da Força-Tarefa Logística Humanitária, Operação Acolhida, que conta com militares do Exército, Marinha e Aeronáutica.

A visita iniciou com palestra de ambientação ministrada pelo Coordenador Operacional da Força-Tarefa, General de Divisão Eduardo Pazuello, com a participação de Secretarias do Governo e de agências parceiras. Durante a apresentação, a ministra recebeu o documento formalizado pelo ministério da defesa que ampara o apoio de entidades religiosas no processo de interiorização dos imigrantes e refugiados oriundos da Venezuela.

No segundo dia de atividades, a visita foi à cidade de Pacaraima, fronteira entre o Brasil e a Venezuela, e a ministra conheceu os Postos de Recepção e Identificação, de Interiorização e Triagem e de Atendimento Avançado. Integrantes da operação explicaram o funcionamento do processo de triagem, checagem de documentação e encaminhamentos para abrigo e atendimento médico.

A comitiva conheceu de perto a atual situação dos imigrantes em conversa com venezuelanos do alojamento de trânsito BV-8 e do abrigo Janokoida, dedicado a indígenas da tribo Warao, e apreciou peças de artesanato produzidas pelos seus integrantes. Segundo a ministra, “a Operação Acolhida é um exemplo para o mundo. As Forças Armadas estão de parabéns, e chegar aqui e ser acolhido dessa forma faz toda a diferença para as pessoas que tanto precisam”.

 

A Operação Acolhida

A Força-Tarefa Logística Humanitária é uma operação conjunta das Forças Armadas, interagências (Governo Federal, OIM, ACNUR, Polícia Federal, Sociedade Civil, ONG e outras entidades) e de natureza humanitária, que visa oferecer condições dignas aos imigrantes provenientes da Venezuela e sua inserção socioeconômica no Brasil.

Atualmente, o foco da operação é a interiorização, que é dividida em quatro modalidades: vaga de emprego sinalizada, que é quando o imigrante é direcionado para uma vaga de emprego definida; institucional, quando é feita transferência de abrigos de Boa Vista para abrigos mantidos pelo poder público no interior do país; sociedade civil, que ocorre quando, por meio de parcerias com as instituições civis, o imigrante é levado de um abrigo para outro em estado diferente; e a modalidade reunificação familiar, que se caracteriza pela situação na qual o cidadão tem algum familiar que pode recebê-lo em sua cidade e integrá-lo à sociedade.

Até o momento, desde o início da Força-Tarefa, 19.500 imigrantes foram interiorizados, 2.420 somente no mês de agosto de 2019. 

Fonte: Ass Com FT Log Hum Roraima


Fonte:Comunicação Social - Operação Acolhida