Comando Militar do Sudeste participa de homenagem aos heróis da Revolução Constitucionalista de 1932

${the_title} - ${company_name}

Crédito: Sd Igor Rocha

São Paulo (SP) – O Comando Militar do Sudeste (CMSE) participou, no dia 9 de julho de 2019, do desfile cívico-militar em homenagem aos heróis da Revolução Constitucionalista de 1932, no Obelisco Mausoléu aos Heróis de 32, em São Paulo.

O evento foi prestigiado pelo Vice-governador do Estado, Rodrigo Garcia, pelo Comandante Militar do Sudeste, General de Exército Marcos Antonio Amaro dos Santos, pelo Secretário da Segurança Pública do Estado de São Paulo, General de Exército João Camilo Pires de Campos, pelo Comandante da 2ª Divisão de Exército, General de Divisão André Luis Novaes Miranda, pelo Comandante da 2ª Região Militar, General de Divisão João Chalella Júnior, e pelo Chefe do Estado-Maior do CMSE, General de Brigada Ricardo Piai Carmona, entre outras autoridades civis e militares.

A solenidade teve início com o canto do Hino Nacional. Em seguida, o Sr. Edson Galvão recebeu o Comando do Exército Constitucionalista do Sr. José Francisco Ferraz Luz.

Posteriormente, os Cadetes da Academia de Polícia Militar do Barro Branco e os Cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN) conduziram as urnas dos heróis Antonio Manoel da Silva, Ezequiel Nogueira Pinto, Gino Struffaldi, José Cesar Castro, Rugerio Fecchio e Geraldo Faria Marcondes ao interior do Mausoléu.

Ainda durante a cerimônia, o General Amaro e o General Novaes foram agraciados com a Medalha João da Costa Machado - Herói de 32, outorgada pela Sociedade Veteranos de 32 a pessoas que tenham prestado relevantes serviços ao culto da Revolução Constitucionalista de 1932.

 

Medalha da Constituição

Também em comemoração aos 87 anos da Revolução Constitucionalista de 1932, os Generais Amaro, Novaes e Chalella receberam a Medalha da Constituição na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo.

A medalha tem como finalidade condecorar todos aqueles que tomaram parte, tanto na linha de frente como na retaguarda, na Revolução de 9 de julho de 1932, ao lado do Exército Constitucionalista.

 

Revolução Constitucionalista de 1932

Por meio da Revolução Constitucionalista de 1932, os paulistas pretendiam derrubar o governo provisório de Getúlio Vargas e instituir um regime constitucional após a supressão da Constituição de 1891 pela Revolução de 1930. Foram 85 dias de combate (9 de julho a 2 de outubro de 1932), com um saldo oficial de 934 mortos.

Fonte: CMSE


Crédito: Sd Igor Rocha