Equoterapia: método terapêutico e educacional na Sede Hípica do Circulo Militar de Campo Grande

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 27 jun 2019
Crédito: Sd P. Lopes

Campo Grande (MS) – Todas as segundas-feiras, das 13h às 17h, cerca de 15 alunos praticam a Equoterapia na Sede Hípica do Circulo Militar. São crianças e adolescentes com idade a partir de oito anos, que apresentam dificuldades físicas, mentais, psicológicas e comportamentais. Há seis meses, esse lindo trabalho é realizado pela Universidade Católica Dom Bosco (UCDB) em parceria com o Comando Militar do Oeste (CMO), por intermédio do Acordo de Cooperação firmado entre as instituições.

Esse trabalho é gratuito e visa atender a pessoas em situação de vulnerabilidade econômica e social com deficit físico ou psicológico, por meio do atendimento terapêutico, promovendo benefícios relacionados ao bem-estar físico e emocional.

Heloísa Bruna Grubits é a professora da UCDB responsável pela condução do trabalho e garante que essa parceria é motivadora. “Aqui vemos de perto a evolução de cada criança e a sintonia dela com o animal, o que reflete, em seu tratamento e consequentemente em sua evolução. É inspiradora e admirável essa parceria, que garante saúde e bem-estar aos que realmente precisam”, pontuou a professora.

Os benefícios da Equoterapia são inúmeros e dentre eles estão a melhora do equilíbrio e da postura; o desenvolvimento da coordenação de movimentos entre tronco, membros e visão; e sensibilidade tátil, visual, auditiva e olfativa, o que melhora a integração sensorial-motora.

A pequena Heloísa Vitória Petralas, de seis anos, é uma das crianças que se beneficiam com o método. Ela nasceu com Encefalopatia Crônica não Evolutiva, uma síndrome neurológica caracterizada por distúrbios da postura e do movimentos secundários. “A Heloísa tinha dificuldade de firmar as perninhas, o que dificultava o seu equilíbrio. Hoje, após seis meses de Equoterapia, a evolução é nítida, ela já anda sozinha, o que garante à minha filha mais autonomia nas atividades rotineiras. Estou muito feliz com o resultado desse trabalho, que pra mim significa amor”, disse emocionada a mãe, Stephanie Petralas Forato.

Fonte: CMO


Crédito: Sd P. Lopes