Exército, Universidade e Empresas unidos para discutir e fomentar a inovação na indústria catarinense.

${the_title} - ${company_name}

Publicado em: 03 out 2017
Crédito: Felipe Scotti e 2º Sgt Góes

Florianópolis (SC) – O Exército Brasileiro uma vez mais mostra-se conectado com outros vetores da sociedade, em especial com o meio acadêmico e o empresarial. Prova disso foi o evento ocorrido no dia 28 de setembro, na cidade de Florianópolis (SC). A 1ª Arena Aberta se propôs a discutir e fomentar a inovação na indústria catarinense, com a participação direta de centros de pesquisa e do conhecimento, a partir de demandas focalizadas em tecnologias futuras para o Exército.

O encontro, viabilizado pela a Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC), pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e pelo Exército Brasileiro (EB), teve, nesta 1º edição, o foco direcionado para área energética.

A iniciativa foi concebida pelo Exército, a partir de estudos que mostram o forte impacto positivo das demandas de ciência e tecnologia da área de defesa para o desenvolvimento de um país. Na busca por uma estratégia de desenvolvimento nacional, baseada em unir esforços, propõem-se à sociedade temas e desafios para a pesquisa e o desenvolvimento prospectados pelo Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação do Exército, que, certamente, serão alvos de futuras demandas para as Forças Armadas (do Brasil e do mundo), com amplo potencial para aplicações no mercado civil.

A ação foi organizada pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL/SC) com a participação do Comitê da Indústria de Defesa da FIESC (COMDEFESA) e do SENAI. O Encontro contou com pesquisadores e empresas ligadas às áreas de nanoestruturação, propriedades eletroquímicas e optoeletrônicas de interface, energias renováveis, geração de energia, nobreak, estabilizadores, nanotecnologia, veículos elétricos, dentre outras, interessados no desenvolvimento de inovações e aplicações práticas no campo das fontes de energia.



Fonte:DCT

Crédito: Felipe Scotti e 2º Sgt Góes