Operação Alta Pressão VII

${the_title} - ${company_name}

Crédito: CMN e 8ª RM

Belém (PA) – De 16 a 18 de outubro, o Comando Militar do Norte e a 8ª Região Militar, por meio da Seção de Fiscalização de Produtos Controlados, desencadearam a Operação Alta Pressão VII. A ação teve o objetivo de intensificar a fiscalização do comércio de armas de fogo e munições no Pará, Maranhão e norte do Tocantins.

Nessa edição, as 12 equipes empregadas autuaram 12 empresas, com a apreensão de 31 armas, mais de 27 mil munições, 146 mil espoletas, 1,4 mil estojos e 6,4 quilos de pólvora. Ao todo, foram fiscalizadas 41 empresas em 25 municípios nos três estados.

As atividades, que ocorrem em todo o território nacional, aconteceram de forma simultânea e em ambiente interagências. Participaram desse processo, em conjunto com o Exército, os Órgãos de Segurança e Ordem Pública (OSOP), como Polícia Federal, Polícia Militar, Polícia Civil, Corpo de Bombeiros Militar e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis.

Os alvos foram pessoas físicas e jurídicas envolvidas com o comércio, o tráfego e a utilização de armas de fogo, munições e produtos correlatos, tendo como prioridade os estabelecimentos comerciais registrados no Exército, e visou reduzir as oportunidades desses produtos pararem no comércio ilegal.

Na área da Amazônia Oriental, as atividades foram concentradas em Imperatriz e cidades vizinhas, no Maranhão, e em Marabá e Altamira e regiões, no Pará, além de Araguaina, no Tocantins. Ao todo, são 200 militares do Exército e representantes dos OSOP trabalhando na Operação Alta Pressão VII. 

As ações impactam diretamente a segurança pública nacional, pois contribuem para a redução da violência com armas de fogo e, consequentemente, para o incremento da sensação de segurança da população.



Fonte:CMN / 8ª RM

Crédito: CMN e 8ª RM