Aniversário da Escola de Sargentos de Logística

${the_title} - ${company_name}

Rio de Janeiro (RJ) – No dia 31 de maio, a Escola de Sargentos de Logística (EsSLog) realizou uma formatura em comemoração ao 81º aniversário de sua existência. A solenidade homenageou o Marechal Carlos Flores de Paiva Chaves, primeiro comandante da Subunidade Escola Motomecanizada, embrião da Escola de Sargentos de Logística. A espada do Marechal Paiva Chaves teve lugar de destaque no pátio de formatura.  Durante a solenidade, foi realizada a entrega de uma Moeda Comemorativa.

A comemoração contou, ainda, com exposição de materiais e equipamentos militares dos diversos cursos da Escola.

A solenidade foi presidida pelo General de Exército Mauro Cesar Lourena Cid, Chefe do Departamento de Educação e Cultura do Exército, e contou com a presença de oficiais-generais da ativa e da reserva, de ex-comandantes, ex-integrantes, além de outras autoridades e de diversos comandantes de organizações militares.

As origens da Escola de Sargentos de Logística remontam o anteceder da Segunda Guerra Mundial, oportunidade em que o Exército Brasileiro empreendeu a retomada da mecanização, iniciada em 1921, com a instalação da Companhia de Carros de Assalto, na Vila Militar.

Com a criação da Subunidade Escola Mecanizada, em 25 de maio de 1938, possibilitou-se a formação de uma massa crítica vocacionada para o ensino técnico. Inicialmente dotado dos carros Fiat-Ansaldo, adquiridos na Itália, havia apenas o Esquadrão de Autometralhadoras. Mais tarde, foi incorporada uma Seção de Carros de Combate, com o antigo material Renault, da extinta Companhia de Carros de Assalto.

Em janeiro de 1939, aquele núcleo transformou-se no Centro de Instrução de Motorização e Mecanização (CIMM), até que, em junho de 1942, passou a denominar-se Escola de Motomecanização, aliando as missões de ensino e de emprego tático de material automóvel, à época sob nítida influência da doutrina americana de emprego de blindados. Era o embrião desse estabelecimento de ensino militar, "Berço dos Sargentos de Logística do EB", que se tornaria referência, nos anos vindouros, no ensino e na fomentação da doutrina de manutenção do material bélico, no âmbito da Força Terrestre.

Em 1960, um ano após a criação do Quadro de Material Bélico, a Escola passou a denominar-se EsMB, época em que agregou ao seu currículo, o ensino do armamento e das munições, antes ministrados na EsIE.

Em 2009, a história dessa Escola é contundentemente impactada pelas evoluções doutrinárias e organizacionais do Exército Brasileiro. Coerente com tais vieses e visando a uma melhor padronização na formação e aperfeiçoamento de sargentos no seio da Força, o Departamento de Educação e Cultura do Exército (DECEx) iniciou seus estudos no sentido de implementar um derradeiro passo evolutivo para esse estabelecimento de ensino: sua transformação em Escola de Sargentos de Logística. Sua atividade primaz passaria da especialização para a formação e aperfeiçoamento.

Em 4 de fevereiro de 2011, data do início do seu primeiro ano letivo, foi lançada a Pedra Fundamental, um marco comemorativo da nova etapa da história desse estabelecimento de ensino. A partir de então a Escola ganhou nova envergadura, frequentando, as suas salas da aula e parques de instrução, metade do efetivo de sargentos do Exército. Passaram a ser desenvolvidos, na Escola de Sargentos de Logística, os Cursos de Formação e Aperfeiçoamento de Sargentos de Intendência, Topografia e o Curso de Especialização em Mestre de Música, oriundos da Escola de Instrução Especializada (EsIE); de Sargentos de Manutenção de Comunicações, oriundo da Escola de Comunicações (EsCom), e de Sargentos de Saúde, oriundo da Escola de Saúde do Exército (EsSEx), e aperfeiçoamento de Sargentos de Aviação.

Em 2018, a Escola atingiu um novo patamar, acrescentando às suas missões de formar e aperfeiçoar, a missão de especializar, com a criação do Curso de Saúde Operacional, bem como com a formação da primeira turma de alunas da linha de ensino militar bélico do Exército Brasileiro, possibilitando, assim, que todos os cursos desta escola tenham a participação do sexo feminino.



Fonte:EsSLog