CMJF no caminho da Educação Inclusiva de Alunos com Deficiência

 

Juiz de Fora (MG) – Visando preparar seus profissionais, o comando do Colégio Militar de Juiz de Fora (CMJF) vem estabelecendo providências para a implantação do Projeto Educação Inclusiva. O paradigma de inclusão escolar adotado não se restringe ao estudante com deficiência, nem àqueles com necessidades educacionais especiais, mas contempla a todos os estudantes, em sua vasta diversidade de habilidades e dificuldades.

 

 

Como exemplo das medidas tomadas pelo estabelecimento de ensino, ocorreu, entre os meses de setembro e outubro, um seminário sobre inclusão, com a professora Melissa Andrade Soares Martins, especialista em Educação Inclusiva. Os profissionais do Colégio tiveram a oportunidade de discutir mais sobre o assunto e experimentar, durante as dinâmicas trabalhadas, os contratempos que alunos portadores de deficiência física vivenciam dia a dia. O seminário teve como objetivos ampliar os conhecimentos dos profissionais sobre o assunto e dialogar sobre a diversidade de habilidades e necessidades dos alunos do CMJF.

 

Mais que simples estudos com recomendações gerais e específicas de inclusão, os profissionais discutiram a respeito dos princípios e práticas da Educação Inclusiva, provendo as recomendações objetivas e passíveis de implantação no Colégio. 

 

Foram abordados temas como inclusão e integração dos estudantes com deficiências auditiva, intelectual, mental, física e visual, com altas habilidades, os talentosos e os superdotados e com transtornos de aprendizagem. Além disso, também se falou a respeito de tecnologias assistivas, de acessibilidade e adaptações; assim como tratou-se sobre sala de recursos multifuncionais e atendimento educacional especializado. Esses momentos inspiraram os participantes ao oferecer fundamentos básicos para os professores que atuam na instituição, visando às modificações e adaptações necessárias.

 

Dentro dessa perspectiva de preparação para a inclusão e aproveitando o acontecimento das paralimpíadas no Rio de Janeiro, os professores de Educação Física do Colégio vêm incluindo esportes complementares nas suas aulas. A prática de basquete com cadeiras de rodas e do vôlei sentado levaram os alunos a vivenciarem as barreiras encontradas pelos portadores de deficiência física e as formas de vencê-las nos esportes.

 

Fotos: João Bertoldo

Fonte:CMJF
Publicado:$pubDate